Mercado abrirá em 7 h 6 min
  • BOVESPA

    120.636,39
    -605,24 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.495,41
    -962,61 (-2,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,35
    +0,37 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.850,00
    +9,80 (+0,53%)
     
  • BTC-USD

    35.373,94
    -520,31 (-1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,63
    -13,57 (-1,90%)
     
  • S&P500

    3.798,91
    +30,66 (+0,81%)
     
  • DOW JONES

    30.930,52
    +116,26 (+0,38%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.718,86
    +76,58 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    28.441,42
    -192,04 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.031,75
    +46,25 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5063
    +0,0077 (+0,12%)
     

Broadway vê tábua de salvação em auxílio de US$ 15 bilhões

Henry Goldman, Lucas Shaw e Noah Buhayar
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Proprietários e produtores de teatro cujos locais foram fechados durante a pandemia de Covid-19 receberam uma injeção de esperança após a aprovação pelo Congresso dos EUA de cerca de US$ 15 bilhões em subvenções para o setor de artes e entretenimento.

A quantia é aproximadamente o mesmo valor que a cidade de Nova York registrou em perdas econômicas totais desde que os teatros da Broadway foram fechados em março. Restaurantes e hotéis nos arredores perderam bilhões de dólares quando as ruas se tornaram quase desertas. O abalo veio após a temporada recorde de 2018-19, com quase 15 milhões de ingressos vendidos.

Cerca de 97 mil pessoas trabalham na indústria da Broadway, uma atração turística e motor de Midtown Manhattan por mais de um século. Outros milhares trabalham em peças itinerantes que contribuíram com US$ 3,8 bilhões para outras economias locais e foram assistidos por 18,5 milhões de pessoas em cerca de 200 cidades dos Estados Unidos no ano passado, de acordo com a Broadway League, uma organização nacional de proprietários de teatros e produtores de espetáculos.

“Somos gratos por este acordo bipartidário que proporcionará alívio imediato em toda a nossa indústria e uma tábua de salvação para o futuro”, disse Charlotte St. Martin, presidente da organização, cuja expectativa é de que os teatros serão um dos últimos negócios a reabrir. “Estamos ansiosos para as luzes da Broadway retornarem e brilharem mais do que nunca.”

A pandemia precipitou a pior crise da história da Broadway, disse St. Martin em setembro, enquanto pedia a ação do Congresso.

O dispositivo bipartidário SOS, sigla para “Save Our Stages” (Salve Nossos Palcos), foi redigido pelos senadores dos EUA Amy Klobuchar, democrata de Minnesota, e John Cornyn, republicano do Texas. O dispositivo oferece subsídios que podem reembolsar os locais por 45% das perdas, ou US$ 10 milhões, o que for menor. Abrange teatros, clubes de música e museus sem fins lucrativos.

O projeto de lei também reservou recursos para os cinemas. O dinheiro pode ser usado para despesas como folha de pagamento e benefícios, aluguel e hipoteca, tarifas de água e luz, seguros, equipamentos de proteção individual e outras despesas comerciais.

Em Cleveland, a Fundação Playhouse Square, um consórcio de teatros de artes cênicas que atrai cerca de 1 milhão de visitas por ano, a CEO e presidente Gina Vernaci disse que a aprovação do projeto ajudará sua organização a sobreviver após o déficit operacional de US$ 7 milhões.

“Isso ajudará não apenas a Broadway de Nova York, mas também a impulsionar centros de artes cênicas em todo o país”, disse Vernaci. “Retomar o funcionamento dos teatros ajudará a dar suporte a restaurantes, prédios de escritórios, hotéis e estacionamentos que dependem de nós nos arredores.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.