Mercado fechado

Britânicos ignoram pedido de Johnson para trabalhar em casa

Olivia Konotey-Ahulu
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Funcionários de colarinho branco no Reino Unido têm ignorado os apelos do primeiro-ministro britânico para trabalhar em casa.

O número de pessoas que entram em prédios comerciais não diminuiu desde o pedido de Boris Johnson na semana passada para que trabalhadores evitassem ir aos escritórios se possível, de acordo com dados da Metrikus, que instala sensores em prédios nas maiores cidades do Reino Unido. O pedido acompanhou medidas mais rigorosas do governo para combater o aumento de casos de Covid-19.

Os dados da Metrikus mostram que a ocupação de escritórios dobrou na primeira quinzena de setembro e agora corresponde a cerca de um terço dos níveis antes das restrições introduzidas em março. O apelo de Johnson na semana passada pode ter apenas interrompido o aumento do número de pessoas que retornam aos escritórios, em vez de diminuir o fluxo, de acordo com o relatório.

“Esses dados sugerem que uma série de empresas com escritórios e indivíduos concluíram que pelo menos parte de seu trabalho não pode ser concluído em casa”, disse Michael Grant, diretor de operações da Metrikus, em comunicado.

A nova recomendação para o trabalho remoto reverteu os esforços de Johnson para reabrir a economia depois que o primeiro lockdown nacional provocou uma recessão. Durante o verão, o governo incentivou a volta aos escritórios, compras em lojas e visitas a pubs e restaurantes. Mas o ressurgimento do vírus obrigou autoridades a suspenderem as iniciativas e aumentar as restrições.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.