Mercado fechado

Britânicos alertam para retrocesso em negociações do Brexit

Ian Wishart e Timothy Ross
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- As negociações comerciais do Brexit, que estavam perto de um resultado, foram abaladas por uma disputa entre o Reino Unido e a França na quinta-feira. O governo britânico disse que as perspectivas de um acordo iminente diminuíram.

Os negociadores trabalhavam sem parar em Londres e, nos últimos dias, aumentava o otimismo de que um acordo poderia ser fechado neste fim de semana. Mas autoridades britânicas disseram que a União Europeia apresentou repentinamente uma nova série de exigências, atrasando as negociações. Os britânicos não especificaram quais foram as demandas, enquanto autoridades da UE negaram.

A avaliação do Reino Unido veio após diplomatas franceses levantarem preocupações um dia antes de que a UE estava fazendo muitas concessões para conseguir um acordo.

Uma autoridade do Reino Unido disse que as negociações deram um grande passo atrás, porque a UE endureceu sua posição em resposta aos franceses. Outra pessoa disse que, apesar do contratempo, um avanço ainda é possível nos próximos dias.

Autoridades próximas ao lado europeu questionaram se os comentários do Reino Unido são mais um exemplo de estratégia arriscada para aumentar a pressão na última hora ou um esforço para disfarçar o fato de que os próprios britânicos estão fazendo concessões. Uma autoridade disse que diferenças fundamentais entre os dois lados persistem há semanas, mas isso não impediu os dois lados de acreditarem que um acordo estava próximo, enquanto outra fonte insistiu que o bloco não havia feito novas propostas.

A briga cria o cenário para uma possível conversa por telefone entre o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

As negociações estão em uma “fase crítica” e há “algumas questões complicadas ainda por resolver”, disse o secretário de Negócios do Reino Unido, Alok Sharma, em entrevista à Sky News.

Michel Barnier, o negociador-chefe da UE, permanecerá em Londres na sexta-feira para um dia inteiro de negociações. Seu plano anterior era retornar a Bruxelas para consultar von der Leyen e diplomatas dos estados membros, disse uma autoridade da UE.

“Fase crítica”

Não é incomum que as opiniões sobre a probabilidade de um acordo mudem muito nos últimos dias de uma negociação. No entanto, as preocupações da França e as linhas vermelhas do Reino Unido são genuínas, disseram as autoridades.

O presidente da França, Emmanuel Macron, está determinado que sua indústria pesqueira não perca grande parte do acesso às águas pesqueiras britânicas e deseja que empresas britânicas sejam vinculadas a regras estritas sobre subsídios estatais e normas trabalhistas, para que, em sua avaliação, não tenham obtenham vantagem injusta.

Na sexta-feira, o ministro de Assuntos Europeus, Clément Beaune, reiterou que a França vetará qualquer acordo do Brexit se não for do interesse nacional.

“Se houver um acordo que não seja bom”, disse à rádio Europe 1, “então seremos contra. Sempre dissemos isso”.

Da mesma forma, Johnson acredita que retomar o controle das águas pesqueiras e ter liberdade para definir suas próprias regras são questão de soberania nacional, e esse era o objetivo do Brexit.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.