Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.898,72
    +497,73 (+0,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Briga de gigantes: Apple e Epic Games vão para os tribunais por causa do game Fortnite

Eduardo Sorrentino
·2 minuto de leitura
Briga de gigantes: Apple e Epic Games vão para os tribunais por causa do game Fortnite
Briga de gigantes: Apple e Epic Games vão para os tribunais por causa do game Fortnite

Esta segunda-feira não foi um dia qualquer para a Apple. Isso porque a data marcou o início de um novo processo antitruste contra a gigante de Tim Cook. Desta vez, o pivô da ação foi a Epic Games, desenvolvedora do game Fornite — considerado o jogo mais popular do mundo —, que busca reverter as comissões cobradas pela gigante da maçã em todas as transações feitas em aplicativos da App Store.

Antes de entender o impasse, é preciso conhecer o funcionamento do Fornite. Apesar de gratuito, o game lucra por meio dos pagamentos pelo aplicativo para recursos extras. Os jogadores podem pagar para obter novos personagens, skins, movimentos de dança e outros acessórios.

E isso tem dado muito dinheiro para a Epic Games. Em apenas dois anos que o Fortnite ficou disponível na loja da Apple, o game conseguiu captar US$ 700 milhões em receita para a desenvolvedora.

O problema é que 30% das transações feitas em aplicativos alocados na App Store vão para a gigante da maçã.

Por achar que a comissão cobrada pela Apple é abusiva, a Epic Games tentou “driblar” a taxa de 30% e implementou um sistema de pagamento próprio no Fortnite. Naturalmente, a Apple não concordou com a medida e removeu o jogo de sua loja de aplicativos. E foi aí que a batalha, efetivamente, começou.

No processo iniciado nesta semana, a Epic Games acusa a Apple de violar a lei antitruste por causa da comissão cobrada pela fabricante de iPhones.

O problema é que a Apple afirma não ser capaz de quantificar os lucros de sua loja de aplicativos separadamente.

O processo deve ser longo, e as consequências são mais graves para a Apple. A medida pode ser seguida por diversos outros aplicativos, o que certamente vai impactar nas receitas captadas pela App Store.

A Epic Games não terá muito o que perder, já que o Fornite segue como “febre” mesmo sem estar disponível na loja de apps da gigante da maçã.

A gente vai acompanhar essa briga de perto e conta tudo pra vocês!!!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!