Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.918,12
    +2.598,06 (+4,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Briga de família nas redes sociais acaba em indenização de R$ 6 mil

·1 minuto de leitura
The
Homem postou uma foto do tio idoso e escreveu que ele precisava pedir esmolas (Getty Images)
  • Homem vai pagar R$ 6 mil em indenização a tios e outros familiares por exposição nas redes sociais

  • Segundo a postagem, o tio cadeirante vivia em situação de abandono

  • O homem acusava o irmão e a cunhada de embolsar o salário do tio e não cuidar nem das necessidades básicas dele

A Justiça de Bom Retiro (SC) condenou um homem por expor familiares e um tio cadeirante nas redes sociais a pagar uma indenização por danos morais de R$ 6 mil. Ele afirmou em uma postagem do Facebook que o irmão e a cunhada não cuidavam do tio, que vivia em situação de abandono e precisava pedir dinheiro na rua. As informações são do Migalhas.

Leia também:

O homem postou uma foto do idoso no acostamento de uma rodovia e escreveu que ele precisava pedir esmolas para cortar a barba. Segundo ele, os familiares viviam às custas do salário do tio e não atendiam nem as necessidades básicas dele.

Ofensa à dignidade

A postagem chegou às autoridades, que, depois de averiguações, chegaram à conclusão de que a acusação não correspondia à realidade.

Para a juíza de Direito Carolina Cantarutti Denardin, ao veicular a imagem do idoso sem autorização e de forma desproporcional, isso ofendeu a dignidade dele e dos outros familiares, mesmo que os nomes deles não tenham sido citados. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos