Mercado fechado

Briano, Farkuh e Mallett deixam Bradesco em reestruturação

Cristiane Lucchesi
·2 minutos de leitura

(Bloomberg) -- Os executivos Juan Briano e Alessandro Farkuh deixaram o Banco Bradesco SA em uma reestruturação global da unidade de atacado, disse Marcelo Noronha, vice-presidente responsável pela área.

Os dois eram os mais sêniores entre 23 executivos que saíram esta semana em meio a uma reestruturação que cortou a camada de gerentes regionais da unidade de atacado, disse Noronha. O objetivo é “aprimorar o modelo de gestão, a dinâmica entre clientes e gestores e aumentar a eficiência e a produtividade”, disse.

Briano, que ficava em Nova York, estava no banco brasileiro desde 2013 e era head de global markets. Rui Marques, responsável pela corretora institucional, que fica São Paulo e respondia para Briano, vai ocupar seu cargo.

Farkuh ingressou no banco em novembro de 2007 e era o chefe do banco de investimento. Ele pediu para sair, segundo Noronha, e o Bradesco ainda não escolheu seu substituto.

Glenn Mallett, chefe de mercado de capitais/renda variável, também está deixando o banco, e será substituído por Claudia Bollina Mesquita, diretora que respondia para ele.

A reestruturação no Bradesco acontece após o banco fechar acordo de transferência de clientes sob indicação com o JPMorgan, que está deixando o private banking local no Brasil. Pelo acordo, o JPMorgan sugere a seus clientes e funcionários que migrem para o Bradesco, que por sua vez vai poder distribuir produtos do private banking do JPMorgan no mercado local.

Considerando-se executivos do JPMorgan, o Bradesco está contratando 50 pessoas para a área de wealth e asset management, Noronha disse.

(Atualiza com saída de Glenn Mallett no quinto parágrafo e contratações no asset e wealth management)

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.