Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,41
    +1,59 (+2,49%)
     
  • OURO

    1.842,80
    +18,80 (+1,03%)
     
  • BTC-USD

    49.394,64
    +129,47 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.382,11
    +23,55 (+1,73%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.393,25
    +293,00 (+2,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3972
    -0,0153 (-0,24%)
     

Braskem tem queda de vendas em unidade no México no 1º tri, Brasil e EUA avançam

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Braskem informou nesta sexta-feira que as vendas de sua unidade no México recuaram 37% no primeiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado e recuaram 27% ante os três últimos meses de 2020 afetadas em parte pela tempestade congelante que atingiu o hemisfério norte no início do ano.

A taxa de utilização das instalações da companhia no México despencou para 58% entre janeiro e março ante 86% no primeiro trimestre do ano passado. Mas mostrou melhora ante os 48% do quarto trimestre, quando a fornecedora local de matéria-prima para a companhia interrompeu suprimento de gás natural.

Nos Brasil, a companhia apurou alta de 8% nas vendas de resinas na comparação anual e queda de 5% na relação trimestral. Enquanto isso, as vendas de "principais químicos", categoria que inclui produtos como eteno, propeno e butadieno, subiram 17% sobre o primeiro trimestre do ano passado mas caíram 3% na comparação com o fim de 2020.

No primeiro trimestre, as exportações de resinas da Braskem a partir do Brasil recuaram 41%. A empresa afirmou que isso deveu-se em função de seu foco de priorizar o atendimento do mercado brasileiro. Ante o quarto trimestre, as exportações de resinas caíram 15%.

A companhia afirmou ainda que a taxa de utilização de centrais petroquímicas no Brasil foi de 82% no primeiro trimestre, ante 85% no quarto trimestre de 2020 e 81% no mesmo período de 2020.

Nos EUA, as vendas da empresa subiram 7% sobre o primeiro trimestre de 2020 e na Europa o volume comercializado avançou 13% na mesma comparação. Enquanto isso, as taxas de operação foram de 78% e 93% respectivamente.