Mercado fechará em 1 h 13 min
  • BOVESPA

    117.006,69
    +542,62 (+0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.341,40
    -712,16 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,10
    +0,49 (+0,93%)
     
  • OURO

    1.842,90
    -8,00 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    30.247,85
    -1.729,32 (-5,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    609,33
    -30,59 (-4,78%)
     
  • S&P500

    3.794,54
    -55,08 (-1,43%)
     
  • DOW JONES

    30.614,77
    -322,27 (-1,04%)
     
  • FTSE

    6.567,37
    -86,64 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.280,50
    -205,00 (-1,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5237
    +0,0129 (+0,20%)
     

Braskem diz que Defesa Civil incluiu 1.918 imóveis para desocupação em Maceió

Por Paula Arend Laier
·1 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Braskem comunicou nesta quarta-feira que recebeu um ofício de autoridades incluiu 1.918 imóveis para desocupação nos bairros Mutange, Bom Parto, Pinheiro e Bebedouro, em Maceió, no contexto do evento geológico em Alagoas.

O documento conjunto da Defensoria Pública do Estado de Alagoas, do Ministério Público Federal, do Ministério Público do Estado de Alagoas e da Defensoria Pública da União informou a atualização do Mapa de Setorização de Danos e Linhas de Ações Prioritárias por parte da Defesa Civil da capital alagoana.

A petroquímica afirmou que está em tratativas com as autoridades para definição de possíveis medidas a serem adotadas em comum acordo, ponderando que não está automaticamente obrigada a apoiar a desocupação destas novas áreas.

A Braskem estima o montante de 850 milhões de reais referente a potenciais medidas de apoio aos moradores das novas áreas e de 750 milhões de reais para gastos adicionais previstos com medidas para encerramento definitivo das atividades de extração de sal em Maceió, gestão da operação, realocação de imóveis incluídos via perícia técnica, entre outros.

A companhia acrescentou que continua em diálogos com as autoridades em relação a ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal referente aos danos socioambientais.