Mercado abrirá em 4 h 41 min
  • BOVESPA

    128.057,22
    -1.202,27 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.202,80
    -376,30 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,70
    -0,34 (-0,48%)
     
  • OURO

    1.791,80
    +17,00 (+0,96%)
     
  • BTC-USD

    37.866,39
    -1.367,97 (-3,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    941,61
    -28,26 (-2,91%)
     
  • S&P500

    4.221,86
    -1,84 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    33.823,45
    -210,22 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.121,29
    -32,14 (-0,45%)
     
  • HANG SENG

    28.762,58
    +203,99 (+0,71%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.189,75
    +24,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9754
    +0,0129 (+0,22%)
     

Brasileiros são os que mais atrasam atualizações do celular na América Latina

·2 minuto de leitura
Brasileiros são os que mais atrasam atualizações do celular na América Latina
Brasileiros são os que mais atrasam atualizações do celular na América Latina

Você sabe qual a importância que um update para o smartphone pode ter? Spoiler: muita. É o equivalente a ter um antivírus num computador. Uma pesquisa da Kapersky buscou entender o comportamento do consumidor quanto a essa função tão rotineira nos celulares de hoje. Apesar de o estudo ser global e envolver 15 mil entrevistados, dados específicos revelam o comportamento do usuário brasileiro, que costuma atrasar essas atualizações.

Com 15 mil participantes no mundo, ao menos 500 selecionados estão em regiões como África do Sul, Argentina, Austrália, Áustria, Brasil, Chile, China, Colômbia, Emirados Árabes, EUA, Holanda, Índia, México, Peru, Portugal, Romênia, Rússia e Turquia. É deste subgrupo que extraímos as características do comportamento local. São 42% de brasileiros donos de um smartphone e tablet que costumam atrasar atualizações.

Na América Latina, o Brasil é simplesmente o país com menos adeptos a atualizações ágeis em seus smartphones. Ficamos para trás do México (43%), Peru (48%), Colômbia e Argentina (52%) e Chile, o campeão, com 54%. E o pior: 71% dos usuários brasileiros não compreendem os riscos envolvidos em atrasar atualizações.

Brasileiros não querem largar o celular

Para além de trazer novos recursos, atualizações — como os pacotes mensais do Android — fornecem correções de bugs e falhas críticas que podem expor os dados e sistema do usuário. Todo mês os engenheiros do Google — e das fabricantes — descobrem (ou recebem) novos problemas e tentar vedar essas exposições. Os novos códigos que fecham essas brechas chegam por essas atualizações que sim, nem sempre chegam no momento mais cômodo.

Para 33% dos brasileiros, o motivo para o atraso de atualizações se deve a estar ocupado com o trabalho. Outros 23% simplesmente não querem parar de fazer o que estão fazendo no celular para ficar com ele indisponível por alguns minutos. Outros 20% simplesmente não querem perder os apps que estão rodando em segundo plano ou estão suspensos, já que a reinicialização pode encerrar os processos.

Vale lembrar, é possível verificar o nível de segurança do smartphone diretamente nas configurações, no submenu dedicado às informações de software. Por lá, a interface revela a data de recebimento da última atualização voltada à segurança do celular.

É importante se atentar às políticas de atualizações de cada fabricante, vez que infelizmente nem toda marca fornece updates mensais ou bimestrais, abrindo espaçamento maior entre os pacotes. A longevidade do suporte também é vital para garantir a segurança do smartphone por alguns anos.

Imagem: Twinster Photo/iStock

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos