Mercado abrirá em 49 mins
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,00
    -1,34 (-1,42%)
     
  • OURO

    1.801,60
    -5,60 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    23.700,13
    -899,64 (-3,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    563,49
    -11,25 (-1,96%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.492,11
    +26,20 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.365,25
    +54,00 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3023
    -0,0214 (-0,40%)
     

Brasileiro dá golpe em empresa dos EUA por 23 anos

·1 min de leitura
Aviões da United Airlines
Homem trabalhava como comissário de bordo na United Airlines

(Spencer Platt/Getty Images)

  • Brasileiro se passa por norte-americano ao longo de 23 anos

  • Ricardo Guedes trabalhava em uma companhia aérea

  • Foi apenas em 2020 que autoridades desconfiaram do homem

Um brasileiro deu um golpe digno de dar inveja aos produtores de filmes de Hollywood. Ao longo nada menos que 23 anos, Ricardo Cesar Guedes trabalhou na United Airlines, nos Estados Unidos, usando um nome falso.

Leia também:

Durante esse tempo, o comissário de bordo se passou por William Ericson Ladd, identidade que pertenceu a uma criança norte-americana que morreu em um acidente de carro nos anos 1970.

Segundo as informações do Business Insider, Guedes usa o nome desde 1998, quando entrou nos Estados Unidos com a identidade falsa. A partir de então, o documento foi renovado pelo menos seis vezes.

Descoberta da fraude

Foi apenas em 2020 que o Departamento do Estado percebeu que a história de Guedes – ou, no caso, Ladd - estava mal contada e que algumas informações não batiam. Temendo uma fraude, acionou as autoridades locais.

Graças a uma investigação criminal, os agentes conseguiram cruzar as informações das impressões digitais do comissário com documentos brasileiros e assim descobrir o golpe. O homem, então, foi acusado por declaração falsa em pedido de passaporte, se passar por cidadão norte-americano e entrar na área segura do aeroporto sob falsos pretextos.

Ao Business Insider, a United Airlines garantiu que Guedes foi demitido e que possui um processo de verificação completo para novos funcionários.

Com informações da Exame

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos