Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.775,20
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    41.320,04
    -2.513,96 (-5,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.016,33
    -47,52 (-4,47%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    14.995,25
    -28,75 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1770
    -0,0677 (-1,08%)
     

Brasileiro Keno Marley perde luta e chance de conquistar primeira medalha olímpica

·1 minuto de leitura
Kano Machado durante a luta contra Benjamin Whittaker (LUIS ROBAYO/AFP via Getty Images)
Kano Machado durante a luta contra Benjamin Whittaker (LUIS ROBAYO/AFP via Getty Images)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O boxeador brasileiro Keno Marley Machado, 21, foi derrotado nesta sexta-feira (30) e perdeu a chance de conquistar uma medalha na categoria até 81 kg nas Olimpíadas de Tóquio-2020

O britânico Benjamin Whittaker, 24 venceu o primeiro round na opinião de três dos cinco juízes da luta. No segundo, foi ao contrário, com triunfo do brasileiro. Os juízes decretaram a vitória de Whittaker no round final. 

Leia também:

O brasileiro, natural de Salvador (BA), lamentou muito a derrota no momento do anúncio. Se avançasse, Keno já garantiria pelo menos uma medalha, já que no boxe não há disputa pelo terceiro lugar -quem perde na semifinal recebe o bronze. 

"Eu cometi alguns erros em alguns momentos da luta e que acarretaram na minha derrota, mas estou bem, feliz", afirmou ele ao SporTV após a luta. 

Em uma edição dos Jogos que muito já se reclamou do julgamento dos juízes, o brasileiro adotou postura diferente. "Em questão de resultado, isso é algo complicado, temos que analisar e não podemos julgar os juízes. Eu cometi erros", analisou. 

Finalmente, projetou um futuro no boxe que, se depender dele, ainda será longo. 

"Tem Paris-2024, tenho apenas 21 anos e bastante tempo para trabalhar e quem sabe uma ou duas Olimpíadas para disputar", completou, pouco antes de agradecer o apoio que recebeu de pessoas do Recôncavo Baiano, da Bahia e de todo o Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos