Mercado abrirá em 3 h 39 min
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,67
    -2,42 (-2,63%)
     
  • OURO

    1.799,00
    -16,50 (-0,91%)
     
  • BTC-USD

    24.043,13
    -646,67 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    571,14
    -0,14 (-0,03%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.510,53
    +9,64 (+0,13%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.518,00
    -59,75 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1906
    -0,0129 (-0,25%)
     

Brasileiro é mais favorável ao trabalho remoto, diz pesquisa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Estudo realizado pela EY mostra que os trabalhadores brasileiros são mais favoráveis ao home office que os profissionais de outros países.

O levantamento revela que, por aqui, 53% preferem trabalhar entre três e quatro dias de forma remota, ante 38% no cenário global.

Apenas 9% no Brasil optam por trabalhar um dia por semana, ou nenhum, no modelo remoto, ante 20% no cenário global.

Para os empregadores, a pandemia acelerou a necessidade de mudanças amplas em uma política de recompensas que engloba remuneração, bem-estar, benefícios flexíveis, tempo livre, entre outras.

Conforme a pesquisa, 43% dos funcionários entrevistados disseram ser provável que deixem seu trabalho atual no próximo ano, sendo a remuneração o principal fator motivador para esse movimento. No Brasil, esse percentual sobe para 50%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos