Mercado abrirá em 4 h 38 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,16
    +0,71 (+0,94%)
     
  • OURO

    1.740,90
    -11,10 (-0,63%)
     
  • BTC-USD

    42.019,79
    -1.808,69 (-4,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.043,60
    -57,92 (-5,26%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.034,31
    -29,09 (-0,41%)
     
  • HANG SENG

    24.529,74
    +320,96 (+1,33%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.965,00
    -229,75 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2839
    -0,0229 (-0,36%)
     

Brasileira encontra raro e belíssimo dragão azul na areia da praia em SP

Um animal estranho e curioso apareceu em uma praia do estado de São Paulo na última semana, e o flagra foi parar nas redes sociais. Dalma Mesquita Ferreira, arquiteta, conta que estava passeando em um dia frio na praia de Bertioga e avistou um dragão azul na areia (Glaucus atlanticus).

A criatura é um molusco bem pequeno e de cor azul intensa, que gosta de se alimentar de águas-vivas, principalmente caravelas-portuguesas. Ela solta uma toxina capaz de queimar a pele, mas não é venenosa. Essa substância é usada pelo bicho, inclusive, para se proteger dos predadores, e seus pequenos "braços" azuis, que até parecem que têm dedos, são usados para capturar e comer seu alimento.

O dragão azul vive em alto mar e é bastante raro que sobreviva caso vá parar na costa, principalmente quando encalha na areia. Esses animais acabam estacionando na superfície quando são levados por correntes marítimas e ventos. Então, a presença do animal em Bertioga foi um acidente.

"Ele é adaptado ao alto-mar por características e evolução, não tem os mesmos recursos de rastejar como as lesmas, porque está adaptado às colunas de águas em alto mar, não tem contato com o solo", contou Luiz Ricardo Sinome, zoólogo, em entrevista ao G1. Uma vez na areia, as chances de sobreviver são pequenas devido à mobilidade. Segundo Gemany Caetano, mestranda pelo Museu de Zoologia da USP, o animal não tem natação ativa e, se a maré não o levar de volta ao mar, ele morre.

Além do Brasil, o dragão azul pode ser encontrado na Austrália e em alguns países do continente africano. Os especialistas ressaltam que não é recomendado tocar no animal para evitar queimaduras, pois a sua substância urticária é a mesma das caravelas-portuguesas e águas-vivas. Se você vir uma criatura dessas na areia, pode salvá-la usando alguma proteção nas mãos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos