Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.256,36
    -3.411,42 (-2,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.310,27
    -841,11 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,47
    +0,25 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.769,10
    -28,80 (-1,60%)
     
  • BTC-USD

    48.666,39
    +376,57 (+0,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    972,28
    -22,38 (-2,25%)
     
  • S&P500

    3.829,34
    -96,09 (-2,45%)
     
  • DOW JONES

    31.402,01
    -559,85 (-1,75%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.788,00
    -514,00 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7368
    +0,1663 (+2,53%)
     

BrasilAgro adquire áreas na Bolívia por US$30 mi; plantará grãos e cana

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A BrasilAgro concluiu nesta quinta-feira as aquisições de quatro sociedades sediadas na Bolívia --Acres del Sud, Ombu, Yatay e Yuchan--, em operação que consiste na área total de 9,9 mil hectares e envolveu cerca de 30 milhões de dólares, informou a companhia em fato relevante.

Segundo a empresa, que recém-concluiu uma oferta restrita de ações que levantou 440 milhões de reais, as áreas adquiridas já estão desenvolvidas e serão destinadas ao cultivo de grãos e cana-de-açúcar.

"As propriedades estão localizadas em região núcleo da Bolívia e possuem aptidão para plantio de segunda safra... Com a aquisição, a companhia pretende dar continuidade à sua estratégia de crescimento e internacionalização", disse a BrasilAgro, que vê a atuação em um novo país como oportunidade de incrementar o faturamento e fortalecer a posição competitiva.

Além da própria BrasilAgro, a transação também envolveu suas controladas Agrifirma e Imobiliária Engenho de Maracajú. Foram adquiridas 100% das ações de emissão das quatro companhias bolivianas.

Em sua oferta de ações, com papel fixado em 22 reais, a BrasilAgro havia adiantado que os recursos líquidos obtidos com a operação seriam destinados à aquisição de ativos na Bolívia, além da compra de terras para exploração e desenvolvimento de propriedades agrícolas e negócios para otimizar e alavancar as atividades operacionais.

(Por Gabriel Araujo)