Mercado abrirá em 9 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,53
    -0,02 (-0,02%)
     
  • OURO

    1.788,80
    +28,90 (+1,64%)
     
  • BTC-USD

    17.128,18
    +143,97 (+0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    406,04
    +5,35 (+1,33%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.892,71
    +295,48 (+1,59%)
     
  • NIKKEI

    28.281,04
    +312,05 (+1,12%)
     
  • NASDAQ

    12.037,50
    -4,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3965
    0,0000 (0,00%)
     

Brasil, uma potência no cenário competitivo dos eSports

Não é novidade dizer que os jogos digitais estão cada vez mais presentes no cotidiano de uma parcela considerável da população, sendo uma área com constante atualização e alcance diverso de faixa-etária. Mas, em especial, a geração Z (nascidos entre 1997 e 2009) e Alfa (nascidos em 2010 a 2025) contribuiu para que, surpreendentemente, a ação de jogar, através de Pro Players ou Streaming, se tornasse uma profissão.

A crescente busca por jogos foi iniciada pelas pessoas que têm hoje entre 20 e 35 anos — geração Y ou millenials que, no passado, mesmo tendo o acesso à internet ainda restrito, por questões econômicas, limitação de tecnologia e informação, fizeram parte de um momento de expansão tecnológica. Já a geração seguinte – Z, composta por pessoas que nasceram entre o fim de 1990 e início de 2010, além de se beneficiar desse legado, foram chamados de nativos digitais, sendo responsáveis pelo aperfeiçoamento do catálogo da gama de jogos digitais, que tem inclusive os jogos como um estilo de vida bastante característico, sendo que 81% consideram os videogames uma extensão de sua rotina.

Quando paramos para analisar os fatores que tornaram jogar online uma profissão, podemos afirmar que um dos principais motivos está no crescimento do setor dos jogos digitais. O Levantamento da Bain & Company projetou um crescimento de 50% na receita global da indústria nos próximos cinco anos, saindo de US$ 199 bilhões em 2022 para US$ 307 bilhões em 2027. Vale ressaltar que o crescimento da indústria de jogos deverá ser impulsionado principalmente pelos jogadores mais jovens, de 13 a 17 anos, que ficam dez horas em videogames e seis horas em redes sociais, por semana.

Os avanços na área de jogos não param, e o que antes era jogado apenas através de consoles de vídeo games, hoje pode ser jogado por meio de celulares, tablets e computadores, que inclusive, são muito bem aproveitados pelos streamers de jogos.

Esse avanço no acesso aos jogos beneficiou diretamente o Alexandre “Gaules”, criador de conteúdo de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), que de janeiro a março liderou as visualizações na Twitch. O influenciador brasileiro acumulou 36,2 milhões de horas assistidas. Entre as mulheres, Paula Nobre, influencer da FURIA, somou 642 mil horas assistidas nos três primeiros meses de 2022 e liderou a lista de mulheres mais assistidas no Brasil.

Compondo esse universo de gamers e as várias conquistas, especificamente no Brasil, vale lembrar que estamos colecionando títulos mundiais no FPS ou First-Person Shooters — em inglês, traduzido como “jogos de tiro em primeira pessoa” que é uma ótima representação do jogo em si: tem a visão do personagem em primeiro plano, proporcionando experiência de realidade.

Entre os 10 melhores jogadores de Counter Striker: Global Offensive, está o brasileiro Marcelo Augusto David, mais conhecido como Coldzera. E ainda, entre as 100 pessoas mais influentes dos eSports, estão Gabriel Toledo de Alcântara Sguarim, conhecido como FalleN e o Thomas Oliveira conhecido como “Temperrr”.

O cenário feminino também cresce cada vez mais. No Gamers Club Masters Feminina, na final do maior campeonato brasileiro feminino teve como adversário a MIBR, em que as campeãs da Fúria venceram e levaram R$ 30 mil. As meninas da Fúria levaram no meio do ano o vice-campeonato da ESL Impact Valencia 2022, que teve um pico de 105 mil espectadores simultâneos e se tornou o campeonato feminino mais assistido da história. O recorde foi atingido na vitória da FURIA sobre a CLG Red na semifinal, com mais de 90 mil espectadores simultâneos só na live do streamer Gaules. Foi também o segundo vice em um torneio internacional que Kaah, GaBi, Izaa, Olga e Mari conquistaram — em junho foi o ESL Impact Dallas.

Brasil na rota das competições

Na mesma vibração de celebrar as conquistas e com grande expectativa, está próximo o Intel Extreme Masters. O Rio Major, o primeiro CS:GO Major na América do Sul. O evento ocorrerá entre os dias 31 de outubro a 13 de novembro, em que as 24 das melhores equipes do mundo poderão batalhar por sua parte na premiação de US$ 1 milhão e pela oportunidade única de vencer a primeira edição da competição realizada na América do Sul, além de disputar o Intel Grand Slam. O Major terá a presença de times brasileiros, como Imperial, 00nation, Fúria e 9z e, ainda, de 15 jogadores brasileiros distribuídos entre os times, sendo o 2º pais com mais representantes.

O CS:GO Major consiste em três etapas, cada uma com seu próprio formato. Durante a primeira fase, o Challengers Stage receberá 16 equipes classificadas via IEM Road to Rio (a série RMR) para entrar em uma chave de torneio e se enfrentar em melhor de um jogo (MD1). As partidas de eliminação e de avanço serão disputadas no formato melhor de três (MD3), com as oito equipes mais bem colocadas, avançando para a Legends Stage. Essas equipes se juntarão a outras oito equipes que passam pelo IEM Road to Rio, enquanto jogam em um formato semelhante à etapa anterior. As oito melhores equipes da Legends Stage se qualificarão para a Champions Stage, que será disputada em uma chave de playoff de eliminação única e que permitirá que a melhor equipe conquiste o cobiçado título.

O Intel Extreme Masters é o circuito global de torneios profissionais de e-sports mais tradicional do mundo. Anunciada em 2006 pela Intel e ESL, a competição já viajou para mais de 30 cidades ao redor do mundo e realizou torneios para 11 títulos de jogos diferentes. Fãs de e-sports de mais de 180 países regularmente quebram recordes em eventos do IEM em termos de público em estádios e audiência. Os mais de 75 eventos IEM resulta em mais de US$ 11 milhões em prêmios em dinheiro já concedidos a alguns dos maiores talentos de e-sports mundial. O universo gamer tem tudo a ver com a Intel que tem buscado cada vez mais oferecer as melhores tecnologias para esses jogadores em todo o mundo!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: