Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,39
    -0,07 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.762,80
    -4,00 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    62.982,21
    -108,54 (-0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.392,85
    +11,90 (+0,86%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.827,17
    +34,03 (+0,12%)
     
  • NIKKEI

    29.667,03
    +24,34 (+0,08%)
     
  • NASDAQ

    13.969,75
    -44,25 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7122
    -0,0089 (-0,13%)
     

Pela primeira vez, Brasil ultrapassa marca de 3 mil mortes por COVID-19 em 24h

Fidel Forato
·3 minuto de leitura

Nesta quarta-feira (17), o Brasil informou o maior número de óbitos notificados nas últimas 24h em decorrência do novo coronavírus (SARS-CoV-2). No período, foram confirmadas 3.149 mortes e 99.634 novos casos da COVID-19. Em números totais da pandemia, o país chega a 284.775 óbitos e 11.693.838 casos da infecção, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Atualmente, a média móvel de óbitos — calculo que estabelece a média de óbitos dos últimos sete dias no país — está em 2.017. Em paralelo, a média móvel de casos da infecção pelo coronavírus é de 70.219 casos. Ambos os valores são considerados os maiores já registrados pelo Brasil desde a primeira notificação da COVID-19 no território brasileiro.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Parte da elevada atualização de óbitos e casos da COVID-19 divulgados hoje é explicada pelo atraso do Rio Grande do Sul em notificar a situação epidemiológica do estado. "Na data de ontem (16/3), a Secretaria Estadual do Rio Grande do Sul não consolidou os dados dentro do horário limite para a atualização do painel pelo Conass. Com isso, não foram contabilizados 9.331 casos e 501 óbitos. Estes registros foram somados aos dados publicados hoje", explicou o Conass, através das redes sociais. Considerando os números das últimas 24h, são 2.648 óbitos no total. É a primeira vez que o país ultrapassa a marca das 2 mil mortes diárias pela doença.

No entanto, o Brasil registra nas últimas semanas recordes nos números da COVID-19 e este é um movimento ascendente. Inclusive, uma apuração do jornal Valor trouxe à tona uma projeção do Ministério da Saúde de que o país alcançaria 3 mil mortes diárias por COVID-19 no mês de março. Além disso, a estimativa era de que o Brasil ainda atravessaria o pior momento da pandemia.

Números da COVID-19 no Brasil

Entre os estados, é São Paulo que registra os maiores números de casos da infecção desde a chegada do coronavírus em fevereiro. Agora, são 2,2 milhões de casos confirmados e 65,5 mil mortes acumuladas. Em seguida, no ranking nacional, estão os seguintes estados: Minas Gerais (991 mil casos e 21 mil óbitos); Paraná (775 mil casos e 14,1 mil óbitos); Rio Grande do Sul (763 mil casos e 15,8 ,mil óbitos); e Bahia (753 mil casos e 13,5 mil óbitos).

A seguir, confira tabela do Conass com casos e óbitos da COVID-19 entre os estados brasileiros, além da taxa de letalidade da infecção:

Brasil notifica mais de 3,1 mil novos óbitos da COVID-19 em 24h (Imagem: Reprodução/ Conass)
Brasil notifica mais de 3,1 mil novos óbitos da COVID-19 em 24h (Imagem: Reprodução/ Conass)

Para conferir os números completos da COVID-19 no Brasil, levantados pelo Conass, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: