Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,72
    +0,44 (+0,67%)
     
  • OURO

    1.815,90
    -6,90 (-0,38%)
     
  • BTC-USD

    54.447,86
    -2.035,90 (-3,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.475,23
    -88,60 (-5,67%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    7.004,63
    +56,64 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    28.231,04
    +217,23 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    12.965,25
    -380,75 (-2,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4055
    +0,0601 (+0,95%)
     

Brasil ultrapassa 370 mil mortes por Covid em dia com 2.865 óbitos registrados

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 04.03.2021 - Vítimas da Covid-19 são enterradas no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo. (Foto: Karime Xavier/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 04.03.2021 - Vítimas da Covid-19 são enterradas no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo. (Foto: Karime Xavier/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil ultrapassou a marca de 370 mil mortes por Covid. Com os 2.865 óbitos registrados neste sábado (17), o país chegou a 371.889 mortes desde o início da pandemia.

A média móvel de mortes voltou a crescer, após 4 dias de queda, e agora é de 2.917 óbitos por dia, nos últimos sete dias. O país completou, neste sábado, 32 dias seguidos com a média acima de 2.000 mortes por dia e 87 dias acima de 1.000.

Também foram registrados 65.792 casos de Covid. Com isso, o Brasil soma 13.900.134 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

A média móvel é um instrumento estatístico usado para amenizar variações de dados. Ela é obtida pela soma de todas as mortes dos últimos sete dias e divisão do resultado por sete.

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.