Mercado abrirá em 3 h 4 min
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,64
    -0,64 (-1,04%)
     
  • OURO

    1.709,10
    -6,70 (-0,39%)
     
  • BTC-USD

    48.892,00
    -1.825,52 (-3,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    981,13
    -6,08 (-0,62%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.603,45
    -72,02 (-1,08%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.592,75
    -89,00 (-0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7699
    -0,0088 (-0,13%)
     

Brasil ultrapassa 214 mil mortes por Covid-19; apenas o DF e 5 estados divulgaram que já aplicaram 109 mil doses da vacina

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: VERGUEIRO/ Secom MT

O Brasil chegou a marca de 214 mil vidas perdidas para a Covid-19. Foram registradas 1.335 mortes totalizando 214.228 mortes. A média móvel foi de 1.010 óbitos, 16% maior se comparado com 14 dias atrás. O cálculo voltou a ultrapassar mill mortes após seis dias.

Foram contabilizados também 59.946 casos, elevando para 8.699.814 o total de infectados pelo vírus. A média móvel foi de 53.386 casos, 18% maior se comparado com 14 dias atrás.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Também foram divulgados dados preliminares da vacinação no Brasil. Foram aplicadas 109.097 doses no Distrito Federal e em cinco estados.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Os 2 milhões de doses da vacina da Oxford/AstraZeneca produzidos na Índia serão enviados ao Brasil em um avião da companhia aérea Emirates, e não na aeronave da Azul adesivada há uma semana pelo Ministério da Saúde. A expectativa no governo Jair Bolsonaro é que o material chegue nesta sexta-feira, no final da tarde, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e no início da noite ao Rio de Janeiro. As informações são de integrantes do governo brasileiro e foram confirmadas pela Secretaria Especial de Comunicação (Secom).

Enquanto a vacina de Oxford não chega ao Brasil, as doses de Coronavac chegaram a aldeias indígenas com o objetivo de não apenas proteger contra a Covid-19, como também de combater a desinformação. A vacinação nestas localidades foi iniciada na terça-feira em todo o país e é realizada pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), vinculada ao Ministério da Saúde. O Ministério de Defesa auxilia na distribuição das vacinas.