Mercado fechará em 6 h 35 min
  • BOVESPA

    121.103,18
    +397,27 (+0,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.829,31
    +80,90 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,60
    +0,78 (+1,22%)
     
  • OURO

    1.837,10
    +13,10 (+0,72%)
     
  • BTC-USD

    50.070,69
    +397,75 (+0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.390,48
    +2,57 (+0,19%)
     
  • S&P500

    4.112,50
    +49,46 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.021,45
    +433,79 (+1,29%)
     
  • FTSE

    7.016,77
    +53,44 (+0,77%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.237,75
    +137,50 (+1,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3878
    -0,0247 (-0,39%)
     

Brasil teve entrada líquida de US$3,5 bi na semana passada, mostra BC

·1 minuto de leitura
.

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil registrou forte entrada líquida de capital na segunda semana de novembro, a reboque da conta financeira e apesar do déficit nas operações comerciais.

O movimento de câmbio contratado mostrou saldo positivo de 3,523 bilhões de dólares entre os dias 9 e 13 de novembro, ante saída líquida de 186 milhões na semana anterior, mostraram dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira.

A conta financeira --por onde passam empréstimos, remessas de lucros e dividendos e investimentos para portfólio-- teve sobra de 4,908 bilhões de dólares na semana passada, enquanto as operações comerciais (exportação menos importação) tiveram perda líquida de 1,384 bilhão de dólares.

Com o firme resultado da semana passada, o fluxo cambial parcial de novembro passou a ficar positivo em 3,337 bilhões de dólares, sendo déficit de 2,826 bilhões de dólares na ponta comercial e superávit de 6,163 bilhões de dólares do lado financeiro.

Em 2020, porém, o rombo ainda é de 16,671 bilhões de dólares, com fluxo negativo de 46,602 bilhões na conta financeira e superávit de 29,931 bilhões de dólares nas operações comerciais.

O resultado parcial do mês e do ano, contudo, é melhor do que em intervalos iguais de 2019. Nos nove primeiros dias úteis de novembro de 2019, o fluxo cambial estava negativo em 431 milhões de dólares, enquanto na parcial de 2019 até o período citado o movimento de câmbio contratado era deficitário em 21,896 bilhões de dólares.

(Por José de Castro)