Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.866,74
    -947,29 (-0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.612,11
    -184,19 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,79
    -3,16 (-4,52%)
     
  • OURO

    1.774,10
    -11,10 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    57.630,13
    -760,57 (-1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.470,69
    +27,92 (+1,93%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.216,75
    -174,00 (-1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3597
    +0,0305 (+0,48%)
     

Brasil tem menor superávit comercial para outubro desde 2015, a US$2 bi

·1 min de leitura
Navio cargueiro descarrega soja no porto de Paranaguá, no Paraná

BRASÍLIA (Reuters) - A balança comercial brasileira teve superávit de 2 bilhões de dólares em outubro, dado mais fraco para o mês desde 2015 (+1,6 bilhão de dólares), obtido em meio à aceleração das importações, divulgou o Ministério da Economia nesta quarta-feira.

O resultado veio em linho com estimativa de analistas de um saldo positivo de 2,05 bilhões de dólares, conforme pesquisa da Reuters.

A performance confirmou tendência vista nos últimos meses, com elevação das importações em ritmo mais forte que o observado na ponta das exportações.

Em outubro, as importações somaram 20,516 bilhões de dólares, alta de 54,9% pela média diária sobre igual mês do ano passado. Isso ocorreu tanto por um aumento nos preços (+23,5%), quanto pelo volume comprado (+19,6%), informou o Ministério da Economia.

Já as exportações tiveram alta de 27,6%, também pela média diária, a 22,5 bilhões de dólares. Neste caso, o crescimento foi guiado sobretudo pelo avanço dos preços (+26,3%), já que a quantidade de embarques ficou praticamente estável sobre outubro de 2020 (+0,7%).

No acumulado de janeiro a outubro, o superávit da balança é de 58,6 bilhões de dólares, contra saldo positivo de 45,2 bilhões de dólares do mesmo período do ano passado.

Para 2021, a expectativa do ministério é de um saldo positivo de 70,9 bilhões de dólares, projeção que foi atualizada no início do mês passado e que representa um valor recorde para a série iniciada em 1989.

(Por Marcela Ayres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos