Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.797,24
    -2.894,63 (-6,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Brasil tem menor investimento estrangeiro desde 2009, mas contas externas melhoram

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
Flag of Brazil on bar chart concept of economic recovery and business improving after crisis such as Covid-19 or other catastrophe as economy and businesses reopen again.
Flag of Brazil on bar chart concept of economic recovery and business improving after crisis such as Covid-19 or other catastrophe as economy and businesses reopen again.

O Banco Central também informou que os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 34,167 bilhões em 2020, uma queda de 50% em comparação com 2019, quando os investimentos estrangeiros somaram US$ 69,174 bilhões.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

2020 teve o menor ingresso de investimentos diretos na economia brasileira desde 2009, com US$ 31,480 bilhões.

Leia também:

Já as contas externas registraram um déficit de US$ 12,517 bilhões em todo ano de 2020, uma queda de 75,3% na comparação com o ano de 2019 - quando o resultado negativo registrou US$ 50,697 bilhões. Foi o melhor resultado desde 2007, quando o país registrou um superávit de US$ 408 milhões.

Essa queda no déficit das contas externas está relacionada com a forte diminuição da atividade comercial, fruto da pandemia, e com a alta do dólar - que subiu 30% no ano passado. Assim, houve uma queda nas importações, o que ajudou na melhora de nossas contas externas.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube