Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,02
    -0,32 (-0,34%)
     
  • OURO

    1.803,80
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.962,22
    +26,92 (+0,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,13
    -1,61 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.333,50
    +22,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3236
    -0,0001 (-0,00%)
     

Brasil tem mais empregos formais, mas salários estão menores

Brasil está gerando mais empregos formais, mas salários estão 9% menores, segundo dados do Caged. Foto: Getty Images.
Brasil está gerando mais empregos formais, mas salários estão 9% menores, segundo dados do Caged. Foto: Getty Images.
  • Dados do Caged apontam que o salário dos trabalhadores com carteira assinada diminuiu 9,34% entre janeiro de 2020 e abril de 2022;

  • Em contrapartida, o número de trabalhos formais até abril deste ano aumentou 8,5%;

  • Os salários de contratação de 2022 também estão abaixo dos registrados em 2021.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência, apontam que o salário dos trabalhadores com carteira assinada diminuiu 9,34% entre janeiro de 2020 e abril de 2022. Em contrapartida, o número de trabalhos formais até abril deste ano aumentou 8,5%.

Leia também:

Os salários de contratação de 2022 também estão abaixo do que os registrados em 2021, quando a crise sanitária era mais penosa.

Para o portal UOL, o economista William Baghdassarian disse que, após “tanto tempo de crise, de desemprego, as pessoas estão aceitando funções com salários mais baixos”.

De acordo com dados do Caged, depois da enorme queda de empregos formais no começo da pandemia, o estoque de vagas começou a crescer.

Em abril deste ano, o total de vagas formais já chegava em 41.448,948, representando um aumento de 8,5% em relação a antes da pandemia.

Contudo, se em janeiro de 2020 o salário médio de contratação era de R$ 1.735,87, ou R$ 2.102,97, quando atualizado pela inflação, em abril de 2022 o valor era de R$ 1.906,54.

Os dados do Caged apontam que os salários de contratação dos quatro primeiros meses de 2022 também foram inferiores aos do mesmo período de 2021.

No ano passado, o valor, quando atualizado pela inflação, chegava a R$ 2.086,82, enquanto no último mês de abril era de R$ 1.906,54.

*Com informações do portal UOL.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos