Mercado abrirá em 5 h 44 min
  • BOVESPA

    107.664,35
    -786,85 (-0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.102,55
    -339,66 (-0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,55
    +0,32 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.678,70
    +10,10 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    19.504,81
    +170,83 (+0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,73
    -0,25 (-0,06%)
     
  • S&P500

    3.640,47
    -78,57 (-2,11%)
     
  • DOW JONES

    29.225,61
    -458,13 (-1,54%)
     
  • FTSE

    6.879,81
    -1,78 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.214,23
    +48,36 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.292,25
    +64,00 (+0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2952
    -0,0028 (-0,05%)
     

Brasil tem maior taxa de juros do mundo

Com novo aumento da Selic, Brasil retoma liderança em taxa de juros real mundial
Com novo aumento da Selic, Brasil retoma liderança em taxa de juros real mundial
  • Copom decidiu pelo aumento da Selic, passando a taxa de 11,75% para 12,75% ao ano;

  • Esse é o décimo aumento consecutivo da taxa, que desde agosto de 2021 não subia;

  • Brasil está em primeiro lugar em juros reais e quarto em juros nominais.

Com o novo aumento da taxa Selic pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, de 11,75% para 12,75% ao ano nesta quarta-feira, 04 de maio, o Brasil voltou a primeira posição entre os países com maior taxa de juros reais, isto é, quando é descontada a inflação.

Esse é o décimo aumento consecutivo da Selic, que vem numa trajetória ascendente desde janeiro de 2021, quando a taxa era de apenas 2% ao ano, menor nível registrado do índice desde 1986, sete anos após sua criação.

De acordo com um levantamento realizado pela MoneYou e pela Infinity Asset Management, os juros reais do Brasil, quando descontado a inflação, atingiram os 6,69%, tornando o país o líder na taxa de juros mundial, bem acima da segunda colocada, Colômbia, que tem um juros real de 3,86%.

O país tem, inclusive, uma taxa de juros real maior do que a Argentina, a Rússia e a Turquia, cujos índices nominais (sem o abatimento da inflação), são maiores que os do Brasil, com destaque para a Argentina que tem uma taxa de juros de 47% ao ano.

Confira o ranking abaixo:

Ranking de juros reais

  1. Brasil 6,69%

  2. Colômbia 3,86%

  3. México 3,59%

  4. Indonésia 2,39%

  5. Chile 1,84%

  6. Rússia 1,36%

  7. Filipinas 1,18%

  8. África do Sul 0,58%

  9. Índia 0,47%

  10. Hungria 0,37%

Ranking de juros nominais

  1. Argentina: 47,00%

  2. Rússia: 14,00%

  3. Turquia: 14,00%

  4. Brasil: 12,75%

  5. Chile: 7,00%

  6. México: 6,50%

  7. Colômbia:: 6,00%

  8. Índia 5,40%

  9. Hungria: 5,40%

  10. República Checa: 5,00%