Brasil tem mais empresas com potencial de crescimento

O Brasil tem mais empresas de médio e grande porte consideradas de alto crescimento do que países desenvolvidos como os Estados Unidos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta quarta-feira as Estatísticas de Empreendedorismo 2010. Se por um lado os dados mostram que a economia brasileira ainda oferece espaço para expansão dessas companhias, por outro, o resultado aponta para uma falha na expansão dos negócios no País por meio de investimentos em inovação, apontou o Instituto Endeavor, que conduziu o levantamento em parceria com o IBGE.

O estudo considera como empresas empreendedoras ou de alto crescimento as que registraram expansão de pessoal ocupado assalariado de 20% ao ano, em média, nos últimos três anos. O período investigado se estendeu de 2008 a 2010.

Em 2009, 7,9% das empresas com pelo menos 10 trabalhadores assalariados no Brasil encaixavam-se no perfil empreendedor, ou seja, eram consideradas de alto crescimento. Nos Estados Unidos, a fatia caía para 5,9%. "Isso mostra que há mais oportunidade para médias e grandes empresas crescerem no Brasil do que nos países desenvolvidos", avaliou Amisha Miller, gerente de pesquisa do Endeavor.

Para a comparação internacional, o IBGE levou em consideração os dados de todas as empresas de alto crescimento, mesmo as que tiveram aumento de pessoal ocupado por meio de fusões ou aquisições, já que este é o padrão adotado em vários países. Esse recorte na pesquisa se limitou a 2009 porque foi o último ano com dados internacionais disponíveis.

No ranking de participação de empresas empreendedoras entre as companhias de médio e grande porte, a Espanha ficou em segundo lugar, com uma fatia de 5,8% de suas companhias de alto crescimento entre as grandes e médias corporações do País. Em seguida, figuraram na lista o Canadá (4,5%), a Itália (4,3%), a Dinamarca (4,0%), Holanda (3,1%) e Áustria (3,1%). "A taxa de empresas de alto crescimento entre as de médio e grande porte é muito maior no Brasil do que em países desenvolvidos", apontou Cristiano Santos, analista da Coordenação de Indústria do IBGE.

No entanto, o Instituto Endeavor alerta para o fato de que o fenômeno também denota um lado negativo, o da falta de competitividade e inovação nas empresas brasileiras. Como empresas médias e grandes já empregam muitos trabalhadores, para que o número de empregados ainda cresça 20% ao ano significa que elas estão investindo em contratação de mão de obra em larga escala em vez de apostar no crescimento por meio de investimentos em eficiência e inovação. "Nos países desenvolvidos, as empresas investem em crescimento mais por meio de inovação e aumento de competitividade do que de contratação", explicou Amisha. "Nesses países, as empresas pequenas são as que contratam mais".

A gerente do Instituto Endeavor afirmou que o Brasil tem a terceira menor taxa de inovação no mundo entre as empresas que estão começando suas atividades. O País só perde para Bangladesh e Trinidad e Tobago. "Estamos fazendo uma pesquisa, que deve ser divulgada em janeiro, em que verificamos que, no Brasil, os empresários que estão abrindo seus negócios não acham que inovação é tão importante para ter uma empresa de sucesso no País", antecipou Amisha.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,1098+0,0486+1,59%
    USDBRL=X
    3,2821+0,0442+1,37%
    EURBRL=X
    0,9472+0,0023+0,24%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    31,51-0,14-0,44%
    VALE5.SA
    15,18-0,38-2,44%
    PETR4.SA
    4,93-0,10-1,99%
    USIM5.SA
    5,86+0,15+2,63%
    GOAU4.SA
    16,40-0,52-3,07%
    LAME4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    10,89+1,29+13,44%
    TEKA4.SA
    4,18+0,45+12,06%
    BEES4.SA
    4,24+0,43+11,29%
    LFFE3.SA
    7,41+0,71+10,60%
    CRPG5.SA
    28,00+2,60+10,24%
    BRSR3.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    16,01-3,99-19,95%
    ITEC3.SA
    1,14-0,25-17,99%
    IGBR3.SA
    0,69-0,11-13,75%
    BBTG12.SA
    29,00-4,00-12,12%
    CEED3.SA
    3,33-0,45-11,90%
    CEDO4.SA