Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.437,85
    +571,05 (+1,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Brasil supera EUA em compra de máquinas agro, diz chefe da Deere

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Ficou mais caro produzir tratores. Mas, felizmente para fabricantes como a Deere, a forte demanda no Brasil suaviza o golpe, segundo Antonio Carrere, que dirige as operações da gigante americana na América Latina.

A demanda por alimentos superou a oferta em meio à redução dos estoques globais, clima adverso para as colheitas e turbulência no transporte causada pela pandemia e pela guerra na Ucrânia. Isso aumentou os lucros de produtores e, por consequência, a demanda por máquinas agrícolas.

“Os custos de produção de máquinas têm aumentado significativamente devido à alta de preços ou desafios de logística e cadeias de suprimentos globais”, disse Carrere em entrevista. “Mas a demanda global por alimentos continua a ser maior do que os desafios que temos enfrentado.”

O Brasil, maior fornecedor mundial de soja, açúcar e café, se tornou o maior mercado para máquinas de colheita e plantio no ano passado, após agricultores brasileiros comprarem mais do que produtores americanos, disse Carrere, que assumiu as operações latino-americanas da Deere em novembro. O apetite por tecnologia no país é “enorme” e vai continuar.

“O Brasil foi chamado a aumentar a oferta de alimentos devido a circunstâncias de curto prazo – a guerra e os efeitos da pandemia”, disse ele. “No longo prazo, o mundo exigirá mais alimentos e fibras, e o único lugar onde é possível aumentar a produção é o Brasil e a América Latina.”

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos