Mercado fechará em 21 mins
  • BOVESPA

    119.730,26
    -3.233,75 (-2,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.854,62
    -800,67 (-1,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,70
    +0,42 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.819,90
    -16,20 (-0,88%)
     
  • BTC-USD

    54.262,84
    -2.404,59 (-4,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.455,09
    -108,74 (-6,95%)
     
  • S&P500

    4.065,07
    -87,03 (-2,10%)
     
  • DOW JONES

    33.606,15
    -663,01 (-1,93%)
     
  • FTSE

    7.004,63
    +56,64 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    28.231,04
    +217,23 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.003,50
    -342,50 (-2,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4005
    +0,0551 (+0,87%)
     

Brasil supera 350 mil mortos para o coronavírus 17 dias depois de chegar a 300 mil

·2 minuto de leitura

RIO — O Brasil viu, neste sábado, o número de mortes ultrapassar a triste marca de 350 mil. A média móvel de vidas perdidas para o coronavírus foi de 3.025 pessoas, superando novamente a marca média de 3 mil pessoas por dia.

O número total de vítimas para a doença desde o começo da pandemia chegou a 351.469. O país demorou apenas 17 dias para passar de 300 mil a 350 mil mortos.

O número registrado de mortes nesse sábado foi de 2.535, e o número de novos casos confirmados foi de 68.270, totalizando 13.443.684.

Em termos de comparação, há um mês, a média móvel era de 1.645 pessoas, ou 54% da atual. Embora o índice registrado no dia 10 de março fosse pouco mais da metade do atual, naquele momento, ele foi um recorde.

Em comparação há duas semanas, a média móvel aumentou cerca de 19%, o que significa uma tendência de alta no número de óbitos. O país registrou média móvel superior a 3 mil óbitos pela primeira vez no dia 1º de abril.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Vinte e dois unidades da federação atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 neste sábado. Em todo o país, 23.077.025 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante, o equivalente a 10,90% da população brasileira. De ontem para hoje, foram contabilizadas 390.919 novos registros de pessoas que tomaram a primeira dose.

A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 6.978.838 pessoas, ou 3,3% da população nacional.