Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,42
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.806,70
    +7,00 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    40.134,11
    +1.883,80 (+4,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.982,25
    -29,25 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0663
    -0,0421 (-0,69%)
     

Brasil restringe entrada de estrangeiros no país para conter novas variantes

·3 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (24), uma portaria interministerial foi publicada no Diário Oficial da União para regular a entrada, em caráter temporário e excepcional, de estrangeiros no Brasil por vias terrestres ou por transporte aquaviário. Além disso, viagens áreas de alguns países, como a Índia, foram interrompidas. O objetivo da Portaria nº 655 é impedir a entrada de novas variantes do coronavírus SARS-CoV-2, como a Delta (B.1.671.2).

"Fica restringida a entrada no País de estrangeiros de qualquer nacionalidade, por rodovias, por outros meios terrestres ou por transporte aquaviário", pontua a portaria. No entanto, o documento esclarece que "as restrições de que trata esta Portaria não impedem a entrada de estrangeiros no País por via aérea, desde que obedecidos os requisitos migratórios adequados à sua condição, inclusive o de portar visto de entrada, quando este for exigido pelo ordenamento jurídico brasileiro".

Voos da Índia, Reino Unido e África do Sul não podem entrar no Brasil (Imagem: Reprodução/Chalabala/Envato Elements)
Voos da Índia, Reino Unido e África do Sul não podem entrar no Brasil (Imagem: Reprodução/Chalabala/Envato Elements)

Quanto à entrada por vias áreas no Brasil, a portaria estabelece que "ficam proibidos, em caráter temporário, voos internacionais com destino à República Federativa do Brasil que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, pela República da África do Sul e pela República da Índia". Vale explicar que todos esses são países onde foram descobertas variantes de preocupação (VOC) para a saúde global, conforme lista divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Medidas que limitam a circulação são importantes no momento da pandemia e quando a cobertura vacinal contra a doença ainda é baixa. No final de maio, um homem, de 32 anos, embarcou da Índia para o Brasil, infectado pela variante Delta do coronavírus. Sem conhecer o diagnóstico positivo para a COVID-19, o passageiro passou por três cidades brasileiras.

Quem pode entrar no Brasil com a nova portaria da COVID-19?

Mesmo com a portaria, o ingresso no país de estrangeiros pode se dar em algumas situações, desde que apresentam documentos comprobatórios da realização de teste negativo para a COVID-19. Entre as situações em que haverá autorização para ingresso no país está a operação de voos de cargas, manipuladas por trabalhadores paramentados com equipamentos de proteção individual (EPIs) e demais protocolos de segurança.

Além disso, as restrições não serão aplicadas em casos de tráfego de residentes fronteiriços em cidades gêmeas, tráfego de transporte rodoviário de cargas e na execução de ações humanitárias e de assistência emergencial para acolhimento e regularização migratória.

As medidas também não valem para: imigrantes com residência de caráter definitivo, por prazo determinado ou indeterminado, no território brasileiro; profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional, desde que identificado; funcionário estrangeiro acreditado junto ao governo brasileiro; e estrangeiros em situações específicas como cônjuges, companheiros, filhos, pais ou curadores de brasileiro.

Caso algum estrangeiro descumpra a portaria, o documento prevê medidas legais que podem ser aplicadas, como responsabilizações civil, administrativa e penal; repatriação; deportação; e inabilitação de pedido de refúgio.

Para acessar o texto completo da portaria, publicado no DOU, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos