Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.371,48
    -690,52 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.092,31
    +224,69 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,87
    +0,44 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.785,20
    +3,20 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    51.920,82
    -2.500,30 (-4,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.194,54
    -48,51 (-3,90%)
     
  • S&P500

    4.134,98
    -38,44 (-0,92%)
     
  • DOW JONES

    33.815,90
    -321,41 (-0,94%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.766,25
    +16,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5430
    +0,0014 (+0,02%)
     

Brasil renova recorde de mortes por Covid-19 e Bolsonaro diz que se dependesse dele nunca haveria lockdown

·2 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro speaks during the launch of a program to help new mayors at Planalto Palace in Brasilia, on February 23, 2021. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Brazilian President Jair Bolsonaro speaks during the launch of a program to help new mayors at Planalto Palace in Brasilia, on February 23, 2021. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar as restrições de atividades no dia que o Brasil renovou o recorde de mortes por Covid-19 em um único dia, e disse que se dependesse dele nunca haveria lockdown no país.

"Eu falo que vírus e desemprego são dois problemas, tem que tratar junto. Eu não tomei conhecimento do lockdown desse cidadão não... o povo que diga quem está certo", disse Bolsonaro ao ser questionado por apoiadores sobre o fechamento de atividades determinado pelo governador de São Paulo e seu desafeto, João Doria (PSDB).

Leia também

"No que depender de mim, nunca teríamos lockdown. Nunca. É uma política que não deu certo em lugar nenhum do mundo", acrescentou. Doria, entretanto, não determinou um lockdown como Bolsonaro sugere.

Segundo o presidente, tem bastante gente que nem da informalidade está vivendo por ter perdido tudo.

"O cara que vendia picolé em estádio de futebol, não vende mais. Alguns proíbem o cara de ir na praia, a praia que é o lugar do cara pegar vitamina D, que ajuda a resistir ao Covid. O cara tira da praia, é um festival de absurdos. Mas a decisão disso tudo está na mão de prefeitos e governadores de acordo com decisão do STF", afirmou.

Bolsonaro tem dito que, por decisão do Supremo Tribunal Federal do ano passado, não pode tomar decisões em relação à pandemia por serem de atribuição exclusiva dos entes regionais. Contudo, o STF destacou em julgamento que as atribuições das três esferas de Poder são concorrentes.

MAIS CORTES DE IMPOSTOS

Em sua fala a apoiadores, o presidente disse que estava na expectativa da votação da PEC Emergencial que viabiliza o retorno auxílio emergencial e que vai anunciar mais duas reduções de impostos em alguns dias.

"Devemos de anunciar mais duas reduções de impostos daqui a alguns dias. Nenhum imposto foi criado no nosso governo. Nossa política é tirar essa carga da população", disse.

(Por Ricardo Brito)