Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.719,66
    +190,69 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,96
    -0,71 (-1,13%)
     
  • OURO

    1.792,00
    +13,60 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    55.792,43
    +469,65 (+0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.287,63
    +24,67 (+1,95%)
     
  • S&P500

    4.157,86
    +22,92 (+0,55%)
     
  • DOW JONES

    34.036,78
    +215,48 (+0,64%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.850,00
    +55,75 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7007
    -0,0018 (-0,03%)
     

Brasil registrou 105 mil denúncias de violência contra a mulher em 2020

O Globo
·2 minuto de leitura

O Brasil somou 105.671 denúncias de violência contra a mulher no ano passado, sendo 72% referentes à violência doméstica e intrafamiliar. Os números são do Ligue 180 e do Disque 100, canais de atendimento mantidos pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, e foram divulgados neste domingo (7), véspera do Dia Internacional da Mulher, pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves, em live nas redes sociais.

Desde o início da pandemia de Covid-19, em março passado, organismos internacionais, especialistas e organizações da sociedade civil alertaram que a crise sanitária deixaria as mulheres mais vulneráveis à violência doméstica. No Brasil, a principal medida adotada pelo governo federal para enfrentar o problema foi a divulgação dos canais de atendimento. Em 2020, as denúncias passaram a ser feitas também via aplicativo, WhatsApp e Telegram.

Os dados divulgados neste domingo seguem uma nova metodologia elaborada MMFDH. Por isso, não é possível comparar os números do balanço de 2020 com o de anos anteriores.

A maioria das denúncias tem como vítimas mulheres declaradas como de cor parda de 35 a 39 anos. O perfil médio das mulheres que sofrem violência de acordo com os registros dos canais de denúncias ainda aponta que elas possuem principalmente ensino médio completo e com renda até um salário mínimo. Já em relação aos suspeitos, o perfil mais comum é de homens brancos com idade entre 35 e 39 anos.

O preenchimento desses dados não é obrigatório durante a realização da denúncia. Dessa forma, o perfil médio das vítimas considera apenas aqueles itens em que as denúncias tiveram essas informações prestadas.

Ainda segundo a pasta, as denúncias de violências contra a mulher representam cerca de 30,2% do total de 349.850 denúncias recebidas pelo Disque 100 e no Ligue 180 em 2020.