Mercado abrirá em 2 h 40 min
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,23
    +0,35 (+0,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    40.000,95
    +774,06 (+1,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.002,27
    +33,43 (+3,45%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.163,18
    +16,50 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    28.638,53
    -203,60 (-0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.441,30
    +279,50 (+0,96%)
     
  • NASDAQ

    14.129,25
    +4,50 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1346
    +0,0031 (+0,05%)
     

Brasil registra 2.811 novas mortes por Covid e total atinge 414.399

·2 minuto de leitura
Vista aérea do cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, em São Paulo (SP), em meio à pandemia de coronavírus

Por Gabriel Araujo

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil registrou nesta quarta-feira 2.811 novos óbitos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 414.399, informou o Ministério da Saúde.

Também foram contabilizados, de acordo com a pasta, 73.295 novos casos de coronavírus, com o total de infecções no país avançando para 14.930.183.

O Brasil possui o segundo maior número de mortes por Covid-19 no mundo, abaixo apenas dos Estados Unidos, e a terceira maior contagem de casos confirmados de coronavírus, atrás dos EUA e da Índia.

Depois de atingir um pico de 4.249 mortes em um único dia em 8 de abril, na esteira da disseminação de uma variante mais transmissível, o país tem verificado recentemente uma estabilização dos índices da pandemia, ainda que em patamares elevados.

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) chamou atenção nesta quarta-feira para o aumento da hospitalização de pessoas mais jovens com Covid-19 nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em países da região, citando que o movimento reflete as fracas medidas de prevenção adotadas contra a doença.

Segundo a entidade, as taxas de mortalidade no Brasil dobraram entre os menores de 39 anos, quadruplicaram entre a população na casa dos 40 anos e triplicaram entre os que estão na faixa de 50 anos desde dezembro.

Estado brasileiro mais afetado pela Covid-19, São Paulo atingiu as marcas de 2.956.210 casos e 98.710 mortes.

O secretário de Saúde paulista, Jean Gorinchteyn, destacou em entrevista coletiva nesta quarta-feira que, ao longo da última semana, o número de casos no Estado avançou em 2,5%, enquanto o ritmo de queda das internações e óbitos perdeu força.

Isso ocorre pouco após o relaxamento de medidas restritivas em São Paulo.

"Nós estamos atentos a esses números. O objetivo de se estabelecer uma fase de flexibilização estendida é a oportunidade de se avaliar esses índices e se atualizar as medidas que podem ser ainda cabíveis para o Plano São Paulo", afirmou Gorinchteyn.

Conforme dados do Ministério da Saúde, Minas Gerais é o segundo Estado com maior número de infecções pelo coronavírus registradas, com 1.387.809 casos, mas o Rio de Janeiro é o segundo com mais óbitos contabilizados, com 45.581 mortes.

O governo federal ainda reporta 13.529.572 pessoas recuperadas da Covid-19 e 986.212 pacientes em acompanhamento.