Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,82
    -0,21 (-0,52%)
     
  • OURO

    1.924,20
    -5,30 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    12.904,23
    +1.847,22 (+16,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,26
    +13,37 (+5,46%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.494,15
    -145,31 (-0,61%)
     
  • NASDAQ

    11.630,25
    -61,00 (-0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Brasil precisa diversificar exportações de soja para além da China, diz ministra

·1 minuto de leitura
.
.

(Reuters) - O Brasil tem que buscar novos mercados e diversificar suas vendas externas de soja, hoje muito concentradas na China, defendeu nesta sexta-feira a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante entrevista transmitida online.

"No caso da soja, hoje a gente exporta 80% para a China. Nós precisamos diversificar isso mais, então nós estamos aí conversando com muitos países", afirmou.

"A soja brasileira é muito boa, porque ela tem mais óleo que a soja produzida em países temperados, então ela é mais produtiva, rende mais. Temos aí grandes oportunidades", acrescentou a ministra, sem dar mais detalhes.

Os comentários vieram enquanto a ministra destacava esforços para abrir novos mercados para os produtos agrícolas do Brasil em geral.

"Estamos abrindo novos mercados, em países que nunca tínhamos exportado e também produtos que a gente nunca tinha exportado", disse.

Ela falou em entrevista ao Blog do Magno, transmitida ao vivo pelas redes sociais.

(Por Luciano Costa)