Mercado fechará em 5 h 56 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,19
    +3,01 (+4,55%)
     
  • OURO

    1.788,60
    +12,10 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    57.325,85
    -466,65 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,39
    +21,62 (+1,50%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.161,23
    +101,78 (+1,44%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.384,00
    +233,50 (+1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3509
    -0,0191 (-0,30%)
     

Brasil precisa de até 1 milhão de antenas de 5G para cobertura nacional

·3 min de leitura
BRASILIA, BRAZIL - NOVEMBER 04: View of the entrance of Anatel building during public event to open the auction for 5G spectrum in the country on November 4, 2021 in Brasilia, Brazil. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Anatel realizou o leilão bilionário sobre a tecnologia 5G (Getty Images)
  • País precisa de uma quantidade de antenas 5 a 10 vezes maior para atingir cobertura nacional de 5G;

  • Apenas 7 das 27 capitais brasileiras estão disponíveis para receber a tecnologia no momento; 

  • Brasil possui 103 mil antenas de comunicação instaladas;

Após o leilão do 5G realizado na última semana, um dos desafios para o Brasil será atingir a cobertura nacional com o 5G, e para isso, a nova geração de internet móvel vai exigir uma quantidade de antenas de cinco a 10 vezes maior que a atual existente no país, segundo informações da organização Conexis Brasil Digital, em entrevista à CNN Brasil.

De acordo com o edital do leilão do 5G, o Brasil possui 103 mil antenas de comunicação instaladas, que faria a necessidade de aumento do número de antenas, ser entre 515 mil a 1 milhão, em relação ao que se existe atualmente no país, com a internet 4G, segundo a organização. Ainda segundo o mesmo edital, as empresas de telefonia precisam implementar o 5G nas capitais e no Distrito Federal até 31 de julho de 2022.

Na questão legal, as capitais vão precisar de normas municipais com alta aderência à Lei Geral de Antenas, que estabelece diretrizes gerais de implantação de infraestrutura de redes de telecomunicações em todo o Brasil. Essas normas não serão necessárias apenas nas capitais, onde o 5G vai chegar primeiro, mas também nas cidades menores, com mais de 500 mil habitantes, por exemplo, que devem ser contempladas até julho de 2025.

Poucas capitais estão prontas para a tecnologia

Segundo o levantamento da Conexis divulgado à CNN Brasil, neste momento, apenas sete das 27 capitais brasileiras estão prontas para receber a tecnologia 5G. Boa Vista, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Palmas, Porto Alegre e Porto Velho são as únicas com legislações para instalação de infraestruturas e antenas suficientes para implementar a nova conexão de internet móvel. A Anatel definiu que o 5G deve funcionar nas 26 capitais do Brasil e no Distrito Federal já em julho de 2022, mas isso não significa que essas cidades oferecerão a frequência em todos os bairros, já que as adequações e as instalações serão feitas aos poucos. 

Para serem consideradas prontas para a nova geração de internet móvel, por regra, as capitais não podem impor condicionamentos que possam afetar a seleção de tecnologia, a topologia das redes e a qualidade dos serviços prestados, não podem exigir licenciamento para infraestrutura de pequeno porte e devem dispensar a necessidade de uma nova autorização para incluir a nova tecnologia ou infraestrutura. Já para as novas empresas que começam a operar, o procedimento para obter a licença deve ser simplificado, com prazo de 60 dias, de acordo com o edital. 

“Essa cobertura, assim como ocorreu nas outras tecnologias móveis, será feita ao longo dos anos. O setor investe acima de R$ 30 bilhões todo ano e deverá manter esse patamar para levar mais conectividade à população”, afirmou o presidente executivo da Conexis, Marco Ferrari, em entrevista à CNN Brasil, sobre o investimento na área. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos