Mercado fechará em 1 h 24 min
  • BOVESPA

    116.722,68
    +258,62 (+0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.198,62
    -854,94 (-1,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,10
    +0,49 (+0,93%)
     
  • OURO

    1.843,50
    -7,40 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    30.531,25
    -1.316,68 (-4,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    615,97
    -23,95 (-3,74%)
     
  • S&P500

    3.783,10
    -66,52 (-1,73%)
     
  • DOW JONES

    30.536,91
    -400,13 (-1,29%)
     
  • FTSE

    6.567,37
    -86,64 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.308,00
    -177,50 (-1,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5341
    +0,0233 (+0,36%)
     

Brasil perde US$16,1 bi em dezembro e caminha para saída anual recorde de dólares

SÃO PAULO (Reuters) - O fluxo cambial ao Brasil ficou negativo em mais de 16 bilhões de dólares apenas em dezembro até dia 27, o que coloca o país a caminho de uma saída recorde de moeda estrangeira no mês e virtualmente garante a 2019 o título de ano com maior debandada de dólares já registrada.

Nas quatro primeiras semanas de dezembro, o saldo foi negativo em 16,097 bilhões de dólares, bem pior que o já considerável déficit de 12,756 bilhões de dólares no mesmo período de 2018.

O dado de dezembro passado é resultado de uma saída líquida de 18,817 bilhões de dólares na conta financeira --por onde passam investimentos em carteira e empréstimos, por exemplo. É o pior dado da série histórica disponibilizada pelo BC, que começa em 1982.

O número geral só não foi ainda mais fraco porque as operações comerciais (câmbio contratado para exportação menos o para importação) tiveram superávit de 2,720 bilhões de dólares.

O fluxo cambial de dezembro está a caminho de se tornar o mais negativo desde setembro de 1998, quando deixaram o país, em termos líquidos, 18,919 bilhões de dólares. Para meses de dezembro, o saldo caminha para o ser o pior desde o início da série histórica.

Mesmo com o fluxo bastante negativo, o dólar <BRBY> acumulou no mês desvalorização de 5,37%, amparado por injeções de liquidez pelo Banco Central e um ambiente global mais propício a risco.

No acumulado de 2019 até dia 27 de dezembro, o fluxo cambial mostrou déficit de 43,253 bilhões de dólares, de longe superando o pior resultado anual até então: saída de 16,182 bilhões de dólares em 1999.

A conta financeira teve saldo negativo de 61,154 bilhões de dólares no ano até 27 de dezembro --o pior já registrado. Já a conta comercial registrou superávit de 17,901 bilhões de dólares, o mais fraco desde 2014.

(Por José de Castro)