Mercado fechará em 1 h 26 min
  • BOVESPA

    129.778,08
    +337,05 (+0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.273,92
    -12,54 (-0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,80
    -0,11 (-0,16%)
     
  • OURO

    1.865,30
    -14,30 (-0,76%)
     
  • BTC-USD

    40.014,83
    +2.529,04 (+6,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    999,85
    +31,01 (+3,20%)
     
  • S&P500

    4.236,12
    -11,32 (-0,27%)
     
  • DOW JONES

    34.233,91
    -245,69 (-0,71%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.062,00
    +67,75 (+0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1521
    -0,0405 (-0,65%)
     

Brasil perde quase 10 milhões de empreendedores em ano de pandemia

·2 minuto de leitura
Com fechamento de empresas, Brasil deixa o 4º lugar no ranking de taxa de empreendedorismo e cai para o 7º
Com fechamento de empresas, Brasil deixa o 4º lugar no ranking de taxa de empreendedorismo e cai para o 7º
  • Quase 10 milhões de empreendedores precisaram deixar negócios em 2020

  • Taxa de empreendedorismo caiu ao menor patamar dos últimos oito anos

  • Apesar disso, número de empresários que começaram agora chegou ao maior patamar da história

Em meio à pandemia da covid-19, o Brasil perdeu quase 10 milhões de empreendedores, o que representa uma queda de 18,33% da taxa de empreendedorismo no país em relação a 2019, levando esse índice ao menor patamar dos últimos oito anos: 31,6%. É o que mostra o relatório da GEM (Global Entrepreneurship Monitor) 2020, feito no Brasil pelo Sebrae em parceria com o IBPQ (Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade). As informações são da Agência Sebrae de Notícias.

Leia também:

Essa queda teve como motivo a saída do mercado dos empresários que já estavam estabelecidos e tinham mais tempo de serviço. Agora, o Brasil deixa o 4º lugar no ranking de taxa de empreendedorismo e cai para o 7º.

'Redução nunca vista'

A taxa total de empreendedorismo “sofreu uma redução nunca vista antes”, segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles. Essa taxa, que passou de 23,3% em 2019 para 23,4% em 2020, equivale à proporção dos empreendedores iniciais (3,5 anos de operação) e dos empreendedores estabelecidos (mais de 3,5 anos de operação)

Melles conta que, com a pandemia, “entrou muita gente inexperiente e empreendedores preparados se viram obrigados a abandonar os empreendimentos que possuíam, o que representa uma forte mudança qualitativa”.

Filhos da pandemia

Em contrapartida, o número de empreendedores que estão entrando no mercado agora cresceu 25% e chegou ao maior patamar da história. Esse grupo - chamado de “filhos da pandemia” pelo presidente do Sebrae, Carlos Melles - representa 10,2% da população adulta. 

Com esse movimento, houve um aumento no número de empreendedores iniciais motivados por necessidade de 37,5% em 2019 para 50,4% no ano passado. Segundo 82% dos entrevistados, eles abriram um negócio por ter sido a solução para o momento, por não terem outras opções.