Brasil indicará Roberto Azevêdo para direção-geral da OMC

Rio de Janeiro, 28 dez (EFE).- O Governo Federal anunciou nesta sexta-feira sua decisão de indicar o embaixador Roberto Azevêdo para suceder no ano que vem o francês Pascal Lamy na direção-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) para o período 2013-2017.

A candidatura de Azevêdo, embaixador de carreira no Ministério das Relações Exteriores e que representa o Brasil na OMC desde 2008, será apresentada por "instrução" da presidente Dilma Rousseff, segundo um comunicado do Itamaraty.

"A candidatura brasileira representa a importância atribuída pelo país ao fortalecimento da OMC e procura contribuir para o progresso institucional da organização e para o desenvolvimento econômico e social mundial", afirma a nota.

"O Embaixador Roberto Azevêdo reúne importantes qualificações para o exercício da função de Diretor-Geral da OMC, com amplo conhecimento da Organização, seus mecanismos e potencialidades", acrescenta o comunicado.

O Ministério das Relações Exteriores lembrou que o embaixador está diretamente envolvido em assuntos econômicos e comerciais há mais de 20 anos e que, como chefe do Departamento Econômico do Itamaraty entre 2005 e 2006, comandou a delegação brasileira nas negociações da Rodada de Doha da OMC.

Igualmente foi diretor de um departamento do ministério responsável pelos litígios comerciais do país com outras nações, entre eles os casos de subsídios ao algodão (iniciado pelo Brasil contra os Estados Unidos) e de subsídios à exportação de açúcar (iniciado pelo Brasil contra as Comunidades Europeias)

O comunicado destaca ainda que o Brasil é um dos membros fundadores da OMC e que o país desempenhou um papel importante no sistema multilateral de comércio, inclusive como um dos principais negociadores na Rodada de Doha.

A escolha do sucessor de Pascal Lamy, um processo que começará no dia 31 de março do próximo ano e poderá estender-se até 31 de maio, já conta com pelo menos oito candidatos, incluindo o economista mexicano Herminio Blanco, que foi o principal negociador do México no Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA).

.Segundo as normas da OMC, após a apresentação de candidatos até 31 de dezembro, se abrirá um longo processo de consultas entre os 158 membros da organização, que deve concluir no final de maio.

Os candidatos se apresentarão perante o Conselho Geral da OMC, que se reunirá no dia 29 de janeiro, para expor seus programas.

O novo diretor-geral tomará posse do cargo em 1º de setembro de 2013 por um período renovável de quatro anos. EFE

Carregando...