Mercado fechará em 6 mins
  • BOVESPA

    124.895,22
    -1.251,44 (-0,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.209,80
    -30,71 (-0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,05
    +0,14 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.802,20
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    32.276,42
    -48,58 (-0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    780,98
    -12,75 (-1,61%)
     
  • S&P500

    4.412,82
    +45,34 (+1,04%)
     
  • DOW JONES

    35.070,45
    +247,10 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.109,00
    +180,50 (+1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1327
    +0,0125 (+0,20%)
     

Brasil foi país que mais perdeu milionários em 2020

·1 minuto de leitura
Spectacles jackpot entrepreneur economist banker chic posh manager jacket concept. Handsome confident cunning clever wealthy rich luxury guy holding wasting stack of money isolated on gray background
Mundo teve aumento de 5,2 milhões no número de milionários em meio à pandemia
  • Brasil perdeu 108 milionários em 2020

  • País lidera o ranking de maiores perdas mundiais do gênero

  • Maior aumento de milionários foi nos Estados Unidos

Em 2020, 108 brasileiros deixaram de ter uma riqueza de mais de R$ 1 milhão, o que torna o Brasil o país que mais perdeu milionários no ano. De acordo com os dados de um estudo do banco Credit Suisse, um dos maiores responsáveis por essa queda foi a desvalorização do real em relação ao dólar. As informações são do G1.

Leia também:

Enquanto isso, o resto do mundo viu o número de milionários crescer 5,2 milhões em meio à pandemia da covid-19, batendo os 56,084 milhões. Assim, o crescimento da riqueza acumulada em 2020 foi de US$ 28,7 trilhões.

Ranking

Os Estados Unidos lideram a lista com o maior número de pessoas que passaram do milhão em patrimônio no ano, seguidos por Alemanha, Austrália e Japão. Já em relação às maiores quedas, depois do Brasil, o segundo lugar fica com a Índia, seguida por Rússia e Hong Kong.

Desigualdade

Enquanto cerca de 1,1% da população mundial ficava mais rica (56 milhões) em 2020, 55% tinha menos de US$ 10 mil. Já em relação a quem acumulava riquezas de US$ 10 mil a US$ 100 mil, o número foi de 1,7 bilhão de pessoas, mais do que o triplo do registrado no ano 2000, de 507 milhões. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos