Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,24
    -0,06 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.742,80
    -36,00 (-2,02%)
     
  • BTC-USD

    44.628,70
    +1.475,84 (+3,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.119,18
    +10,26 (+0,92%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.296,00
    +132,50 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2250
    +0,0162 (+0,26%)
     

Brasil estrutura rede de diagnóstico de peste suína africana e avança na prevenção

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Rede de Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (Rede LFDA) está apta a identificar eventuais casos de vírus da peste suína africana (PSA) no Brasil, um passo importante entre as medidas de vigilância para permitir uma rápida reação se a doença aparecer no país.

O registro de focos da doença na República Dominicana, o que mostra que o vírus já está no continente americano, deixou a indústria em alerta. Um comitê com a participação da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) foi instalado neste mês para debater estratégias de prevenção.

"A chegada da PSA ao continente americano, confirmada em julho, aumenta o estado de atenção com intensificação das medidas para prevenir a introdução da doença no Brasil", afirmou o Ministério da Agricultura em nota nesta terça-feira.

A peste suína africana é uma doença viral que não oferece risco à saúde humana, mas pode dizimar criações de suíno, pois é altamente transmissível.

No hipótese de suspeita do vírus que já dizimou o rebanho chinês, a unidade de Minas Gerais (LFDA-MG) será o laboratório oficial do ministério, que realizará o diagnóstico, disse a pasta.

O ministério afirmou que desde 2018, quando a PSA se disseminou na China e outros países da Ásia e Europa, vem sendo desenvolvidas ações para fortalecer as capacidades de prevenção do ingresso do vírus da PSA no país, visando a detecção e diagnóstico precoces e resposta rápida a eventuais incursões da doença no Brasil.

A pasta ainda disse que a padronização e verificações dos métodos de diagnóstico vêm sendo trabalhadas pelo laboratório em Minas Gerais desde 2015, tendo sido concluída a validação completa de suas técnicas moleculares para identificação da doença em outubro de 2020.

A ampliação para realização do diagnóstico em outros laboratórios da Rede LFDA também já está sendo discutida no ministério.

(Por Nayara Figueiredo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos