Mercado fechará em 2 h 25 min
  • BOVESPA

    121.821,83
    +20,62 (+0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.280,44
    +85,01 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,13
    +0,98 (+1,44%)
     
  • OURO

    1.809,10
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    40.315,39
    +843,79 (+2,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    995,98
    +20,09 (+2,06%)
     
  • S&P500

    4.419,71
    +17,05 (+0,39%)
     
  • DOW JONES

    34.975,89
    +183,22 (+0,53%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.145,00
    +71,50 (+0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1516
    +0,0333 (+0,54%)
     

Brasil encerra safra 20/21 com alta de 56% no crédito oficial para investimento

·1 minuto de leitura
Colheita de cana-de-açúcar em moinho de São Martinho, Pradopolis, Brasil.

SÃO PAULO (Reuters) - O crédito rural oficial para investimentos no campo encerrou a temporada 2020/21 (julho/junho) no Brasil com alta de 56% na comparação com o ciclo anterior, somando 76,27 bilhões de reais, informou o Ministério da Agricultura nesta terça-feira.

O montante ainda superou em 34% a programação inicial, segundo o ministério em nota.

Com forte demanda para investimentos nas propriedades, em momento em que os preços das commodities impulsionam o setor rural, o governo federal elevou a programação de recursos para esse fim no novo Plano Safra 2021/22, enquanto reduziu o total destinado ao custeio.

No plano 20/21, encerrado em junho, as aplicações do crédito oficial no custeio alcançaram 135,3 bilhões de reais, alta de 27% em relação a temporada anterior.

Já o financiamento da comercialização recebeu 25,4 bilhões de reais (+10%) e a industrialização 12,5 bilhões de reais (+15%). As operações de Cédula do Produto Rural (CPR) e com agroindústria somaram 22 bilhões de reais, queda de 9%.

No que se refere aos segmentos, o crédito aos beneficiários foi concedido por meio de bancos públicos (55%), privados (24%), cooperativas de crédito (20%) e bancos de desenvolvimento e agências de fomento (1%).

Na comparação com a safra anterior, as cooperativas tiveram um ganho de 2% e os bancos públicos de 1% na participação do volume total de contratações.

(Por Roberto Samora)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos