Mercado fechará em 13 mins
  • BOVESPA

    109.805,32
    +2.426,40 (+2,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.891,59
    +624,39 (+1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,92
    +1,86 (+4,32%)
     
  • OURO

    1.804,90
    -32,90 (-1,79%)
     
  • BTC-USD

    19.170,46
    +718,50 (+3,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,14
    +10,39 (+2,81%)
     
  • S&P500

    3.635,39
    +57,80 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.037,09
    +445,82 (+1,51%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.067,00
    +161,75 (+1,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3949
    -0,0454 (-0,70%)
     

Brasil e Reino Unido discutem possível negociação de acordo comercial, diz Economia

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - Autoridades do Brasil e do Reino Unido discutiram, nesta quarta-feira, a possibilidade de negociar um futuro acordo comercial entre os dois países, além de uma decisão que eventualmente evitasse uma dupla tributação entre as duas economias, segundo nota divulgada pelo Ministério da Economia.

Durante o encontro, segundo o governo brasileiro, as autoridades do Reino Unido reforçaram o apoio britânico à adesão do Brasil à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), tendo abordado a maneira como o país tem implementado os processos de alinhamento aos instrumentos legais da Organização.

Participaram do encontro o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais da pasta, Roberto Fendt, e a secretária de Estado de Comércio Internacional do Reino Unido, Elizabeth Truss, bem como autoridades de outros ministérios pelo lado do Brasil.

Durante a reunião, também foram tratados temas como o crescimento limpo e sustentável, cooperação comercial multilateral e bilateral e acesso a mercados.

De acordo com o Ministério da Economia, um comunicado conjunto, preparado pelos dois países, deve ser divulgado até o fim desta semana contendo as principais conclusões e medidas acertadas.

(Por Gabriel Ponte)