Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.526,48
    -10,18 (-0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Brasil e Argentina assinam memorando para intercâmbio de energia elétrica e gás

Torres de transmissão de energia no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - Secretários do setor de energia dos governos do Brasil e Argentina assinaram nesta quinta-feira um memorando de entendimento para integração energética, abarcando os mercados de energia elétrica e gás natural dos dois países.

Segundo o comunicado do Ministério de Minas e Energia, a integração Brasil-Argentina contribui para redução do custo de operação e aumento da segurança energética, com impacto positivo aos consumidores brasileiros e argentinos.

O memorando prevê continuidade do intercâmbio de energia elétrica e um compromisso de maior diálogo para aumentar a integração gasífera, tendo em vista a perspectiva de crescimento da produção de gás natural de ambos os países.

Atualmente, o intercâmbio de energia elétrica entre Brasil e Argentina dá-se majoritariamente por meio das conversoras Garabi I e II, com capacidade total de 2200 megawatts (MW), localizadas no município de Santo Ângelo (RS).

Essas instalações estão incluídas em um dos lotes que serão oferecido aos mercado no leilão de transmissão de energia marcado para o 16 de dezembro. Segundo o governo, a assinatura do memorando de entendimento cumpre uma exigência legal para a realização do leilão das instalações.

O memorando tem vigência até 31 de dezembro de 2025.

(Por Letícia Fucuchima)