Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.345,82
    +1.857,94 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.376,89
    -141,41 (-0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,52
    +0,24 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.851,60
    +9,50 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    29.399,19
    -611,10 (-2,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    658,61
    -16,27 (-2,41%)
     
  • S&P500

    3.973,75
    +72,39 (+1,86%)
     
  • DOW JONES

    31.880,24
    +618,34 (+1,98%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    12.053,75
    +213,00 (+1,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1413
    -0,0115 (-0,22%)
     

Brasil deve manter proibição ao cigarro eletrônico, defende Conselho de Medicina

O Conselho Federal de Medicina (CFM) defendeu, nesta segunda-feira (2), a proibição do cigarro eletrônico no Brasil. Após análise das evidências disponíveis, a entidade pontua que a comercialização, a importação e a propaganda dos vapes não devem ser autorizadas.

Segundo o CFM, o pronunciamento é uma reposta diante de “mobilização por parte de alguns segmentos para liberação do cigarro eletrônico no país, tentando mudar a legislação em vigor". Inclusive, o conselho defende que diferentes segmentos da sociedade devem combater o seu uso, como os médicos, já que podem alertar os pacientes sobre os riscos desse tipo de produto.

Conselho Federal de Medicina defende proibição dos cigarros eletrônicos (Imagem: Tommyandone/Envato)
Conselho Federal de Medicina defende proibição dos cigarros eletrônicos (Imagem: Tommyandone/Envato)

Recentemente, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou uma campanha sobre os riscos do dispositivo e dos cartuchos. Toda a movimentação ocorre, porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) revisa o parecer que proíbe a venda dos cigarros eletrônicos no Brasil.

Riscos do cigarro eletrônico

“Cigarro eletrônico é porta de entrada para o tabagismo. Estudos já comprovaram os riscos da nicotina para doenças cardiovasculares e respiratórias, dependência química e câncer”, explicou o presidente do CFM, José Hiran Gallo, em comunicado.

De acordo com o conselho, também existe um acúmulo de evidências científicas que sugerem que fumar cigarros eletrônicos pode trazer riscos semelhantes ou mesmo maiores que outras formas de uso de tabaco, o que pode afetar a saúde dos usuários.

Por fim, o pronunciamento destaca que este tipo de dispositivo “possui altos índices de nicotina e de outras substâncias nocivas em sua composição, causa dependência química e pode levar milhões de pessoas ao adoecimento e à morte”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos