Mercado fechará em 5 h 15 min
  • BOVESPA

    117.659,11
    +461,29 (+0,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.083,60
    +237,77 (+0,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,41
    +0,65 (+0,74%)
     
  • OURO

    1.717,30
    -3,50 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.988,40
    +154,97 (+0,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,56
    -7,57 (-1,63%)
     
  • S&P500

    3.758,09
    -25,19 (-0,67%)
     
  • DOW JONES

    30.079,35
    -194,52 (-0,64%)
     
  • FTSE

    6.972,50
    -80,12 (-1,14%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,77 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.551,25
    -72,50 (-0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1124
    -0,0238 (-0,46%)
     

Brasil define nova idade mínima para laqueadura e vasectomia

Com a Lei 14.443/22, o Brasil modifica as regras para a esterilização voluntária. O texto prevê que a laqueadura para mulheres e a vasectomia para homens agora poderão ser feitas por pessoas 21 anos ou mais. Anteriormente, a lei determinava que a idade mínima era de 25 anos. Além disso, quem tem pelo menos dois filhos vivos pode realizar o procedimento, independente da idade.

A lei, que foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (6), também garante que a laqueadura possa ser realizada por mulheres, independente do consentimento do cônjuge. Anteriormente, mulheres casadas que desejassem adotar o método contraceptivo precisavam acionar a justiça.

Lei autoriza que mulheres realizem a laqueadura a partir dos 21 anos, sem autorização do cônjuge (Imagem: Light Field Studios/Envato Elements)
Lei autoriza que mulheres realizem a laqueadura a partir dos 21 anos, sem autorização do cônjuge (Imagem: Light Field Studios/Envato Elements)

Quando a medida sobre a laqueadura e a vasectomia entra em vigor?

A lei que regula a realização de laqueaduras por mulheres e a vasectomia para homens, sem o consentimento do cônjuge, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda. De acordo com o texto, a mudança entrará em vigor daqui a 180 dias, ou seja, em março de 2023.

Mudanças na lei que regula a laqueadura no Brasil

Entre as mudanças, a nova lei permite que o procedimento que busca impedir a chegada de espermatozoides até o ovário seja feito durante o parto. Com a medida, a mulher precisará passar por apenas uma cirurgia, caso já tenha decidido pelo procedimento enquanto estiver grávida.

Por outro lado, a lei mantém o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o procedimento cirúrgico de esterilização. Isso vale tanto para as mulheres quanto para os homens que desejarem realizar a operação.

Vale lembrar que a lei foi proposta pela deputada Carmen Zanotto, e foi aprovada pela Câmara dos Deputados em março deste ano. No mês de agosto, foi aprovada pelo Senado Federal. Agora, é sancionada pelo Presidente da República.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: