Mercado fechará em 7 mins
  • BOVESPA

    110.003,76
    +1.352,71 (+1,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.830,03
    +588,22 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,70
    +1,20 (+1,33%)
     
  • OURO

    1.805,00
    -7,30 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    23.636,81
    +574,16 (+2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,08
    +25,86 (+4,87%)
     
  • S&P500

    4.205,87
    +83,40 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    33.268,03
    +493,62 (+1,51%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.394,25
    +362,75 (+2,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2409
    +0,0082 (+0,16%)
     

Brasil corre risco de ficar sem insumos para testes de covid, aponta Abramed

·2 min de leitura

Brasil enfrenta risco desabastecimento de insumos para testes de covid-19, segundo a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed). Diante da nova onda de casos da variante Ômicron (B.1.1.529) do coronavírus SARS-CoV-2, a entidade recomenda a priorização de pacientes graves para a realização dos exames.

A medida de priorização deve valer tanto para os testes de PCR quanto os de antígeno. De acordo com a Abramed, “a alta transmissibilidade da nova variante Ômicron causou aumento exponencial de casos, o que vem demandando significativo aumento da capacidade produtiva global de testes”.

Brasil corre risco de desabastecimento de insumos para testes da covid-19 (Imagem: reprodução/Gpointstudio/Envato)
Brasil corre risco de desabastecimento de insumos para testes da covid-19 (Imagem: reprodução/Gpointstudio/Envato)

Testes da covid não deveriam ser para todos?

"A importância da testagem de toda a população para controle epidemiológico e manejo de pacientes em uma pandemia é reconhecida por todos os profissionais de saúde e até mesmo por pacientes", lembra.

No entanto, a situação atual é diferente e o cenário "trouxe ao setor de medicina diagnóstica brasileiro a preocupação com a falta de insumos necessários para a realização desses exames". Por isso, é importante priorizar a testagem.

Quem deve testar prioritariamente para a covid?

Diante do cenário atípico, a associação recomenda "aos associados a priorização de pacientes para efetuarem os testes", segundo a escala de gravidade a seguir:

  1. Pacientes que tenham maior gravidade de sintomas;

  2. Pacientes hospitalizados e cirúrgicos;

  3. Pessoas no grupo de risco;

  4. Gestantes;

  5. Trabalhadores assistenciais da área da saúde;

  6. Colaboradores de serviços essenciais.

Questão da variante Ômicron

Caso não haja reposição nos estoques de insumos “rapidamente”, o país pode sofrer com falta de exames para o diagnóstico da covid-19. “Quando avaliamos as notícias que vêm de outros países, de que eles já estão sem insumos, é certo que o problema chegará ao Brasil”, explica a Abramed.

No momento, a associação explica que não é possível calcular até quando o estoque disponível conseguirá atender à demanda brasileira. Isso porque os estoques variam entre os laboratórios e as regiões.

Além disso, a associação informa que outras entidades do setor serão contatadas para informar sobre a situação, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Ministério da Saúde, a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) e Associação Médica Brasileira (AMB).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos