Brasil avalia como questionar barreiras à carne bovina

A ministra interina do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, disse que o Brasil estuda o melhor instrumento para questionar as barreiras colocadas às exportações de carne bovina brasileira. Ela falou nesta quarta-feira que o País pode recorrer à Organização Mundial do Comércio (OMC). "A possibilidade de um contencioso nunca foi descartada. Não hesitaremos em fazer, se tivermos de reduzir barreiras incompatíveis com as regras", afirmou.

Tatiana Prazeres explicou que a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) mantém as exportações brasileiras de carne bovina como risco insignificante. "Se não há parâmetro de risco sanitário, a barreira é considerada protecionista na OMC", disse. O Brasil acredita que a decisão de alguns países não tem respaldo no risco sanitário. "A nossa preocupação já foi expressa no âmbito da OMC e as consultas ocorrem o tempo todo", disse.

Tatiana disse que há problemas com Japão, China, África do Sul, Arábia Saudita, Chile (em alguns produtos) e Jordânia (só para o Paraná). Segundo ela, até novembro, estas barreiras afetam 4,4% das exportações brasileiras de carne bovina.

Carregando...