Mercado fechará em 1 h 9 min
  • BOVESPA

    116.810,33
    +346,27 (+0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.327,83
    -725,73 (-1,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,14
    +0,53 (+1,01%)
     
  • OURO

    1.844,00
    -6,90 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    30.469,07
    -1.577,30 (-4,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    613,33
    -26,59 (-4,16%)
     
  • S&P500

    3.795,49
    -54,13 (-1,41%)
     
  • DOW JONES

    30.618,45
    -318,59 (-1,03%)
     
  • FTSE

    6.567,37
    -86,64 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.311,00
    -174,50 (-1,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5237
    +0,0129 (+0,20%)
     

Brasil aumenta cota de trigo importado sem tarifas de países de fora do Mercosul

·1 minuto de leitura
Bolsonaro sorri na primeira Cúpula do Mercosul realizada por videoconferência, devido à pandemia de coronavírus. Foto divulgada pela Presidência em 2 de julho de 2020.

O Brasil aumentou temporariamente a cota de importações de trigo sem tarifa para países não pertencentes ao Mercosul, informou o Ministério da Economia. A medida pode prejudicar a Argentina, seu principal parceiro no bloco regional.

A decisão, adotada pela Câmara de Comércio Estrangeira (Camex), entrou em vigor em 1º de julho e permite uma cota adicional de importação de 450.000 toneladas de trigo isentas da Tarifa Externa Comum (TEC), que é de 10%, até 17 de novembro.

O aumento será ativado apenas no caso de as importações da cota anual de 750.000 toneladas sem tarifa atingirem 85% do total.

"A medida deve ter um impacto positivo sobre a oferta do produto no país, contribuindo para reduzir ou conter eventuais aumentos de preço do trigo, que é insumo para importantes itens na cesta de consumo do brasileiro, como farinha de trigo, pães, etc", explicou o ministério em comunicado.

Essa decisão pode gerar desconforto na Argentina, principal origem do trigo importado para o Brasil, com 89,5% do total entre janeiro e junho deste ano.

O Brasil, um dos principais importadores de trigo do mundo, compra no exterior cerca de 60% do total de trigo que consome.

A decisão pode beneficiar os Estados Unidos, o segundo maior exportador de trigo para o Brasil, com 5,31% do total entre janeiro e junho deste ano.

Em março do ano passado, o governo argentino já manifestou preocupação quando Brasil e Estados Unidos, cujos presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump são aliados, concordaram com a importação anual de 750.000 toneladas de trigo americano com tarifas zero.