Brasil é o país mais otimista da América Latina com finanças pessoais

SÃO PAULO – A pesquisa trimestral Confiança do Consumidor, da empresa Nielsen, mostrou que 77% dos brasileiros acreditam que sua situação financeira é boa ou excelente. É o maior percentual entre os países da América Latina pesquisados. Na Argentina, por exemplo, esse índice é de apenas 43% da população.

No trimestre passado, esse percentual brasileiro era de 73%, ou seja, houve uma alta de 3 pontos percentuais. Em relação ao quesito "confiança do consumidor", o aumento foi de 4 pontos, atingindo um índice de 110, segundo informou a Nielsen, estando acima da média na América Latina, de 94.

Uma das consequências de tanto otimismo e confiança é o quanto os brasileiros pretendem gastar dos recursos excedentes. A maior parte dos entrevistados (41%) afirmou que irá destinar o dinheiro que sobrar ao quesito “entretenimento fora do lar”. Na última pesquisa, essa liderança de prioridade era com a "quitação de dívidas e empréstimos".

Para o analista de mercado da Nielsen, Claudio Czarnobai, a aposta do governo em ações de incentivo ao consumo aliada à manutenção de baixas taxas de desemprego, torna o brasileiro anda mais confiante com opções consideradas mais supérfluas. “De um trimestre para outro a prioridade de gasto do brasileiro se modificou, acompanhando a recuperação de curto prazo da economia nacional em geral”, diz.

Preocupações: equilíbrio no trabalho e na vida
A maior preocupação do brasileiro é com o equilíbrio no trabalho e na vida (20% dos entrevistados). Já 17% afirmaram ser a saúde. Educação e sustento dos filhos ficou com 11% e a economia, com 10%.

Na América Latina, a situação é um pouco distinta, sendo que a maior parte das pessoas acredita que a estabilidade com o emprego é a maior preocupação (18%).

Carregando...