Mercado fechará em 6 h 38 min

Brasil é o país mais avançado da América Latina no uso de IA, diz estudo

O Brasil é pioneiro na adoção de inteligência artificial (IA) na América Latina. É o que demonstram os dados de um estudo da Statistical Analysis System (SAS), empresa de Business Intelligence e softwares. A pesquisa aponta que 63% das companhias que utilizam dados e analytics no país também usam IA — contra a média de 47% da região.

O estudo “Avanços na cultura organizacional baseada em dados, analytics e IA” foi conduzido pelo International Data Corporation (IDC), a pedido do SAS, visando mapear a adoção de soluções data-driven no mercado latino-americano. Conforme os dados apontam, sete a cada dez companhias nacionais utilizam a inteligência artificial com o objetivo de melhorar a habilidade de análise de dados e obter melhores insights.

Para André Novo, country manager do SAS no Brasil, a pesquisa revela uma maturidade das empresas brasileiras em relação à transformação digital como meio de se tornarem mais competitivas, prevendo os próximos cenários e gerando novas oportunidades de negócios.

90% das empresas investem em dados e analytics

Dentre as empresas brasileiras entrevistadas, 90% investem em dados e analytics com o objetivo principal de identificar tendências e padrões de consumo — enquanto a média da América Latina é de 60%. André ressalta que grande parte do mercado nacional já entendeu que só conseguirá conhecer melhor seus consumidores através de soluções robustas de análise de dados.

Segundo o levantamento, 84% dos brasileiros apontam que o principal driver para a adoção de dados e analytics é a confiabilidade e segurança, superando a média da região (73%). Além disso, ao escolher uma solução, 56% dos entrevistados dizem que o principal fator levado em conta é um forte sistema de suporte técnico. Na nuvem, o modelo preferido para implantar soluções de dados foi o Platforma como Serviço (PaaS, na sigla em inglês) — 46% das empresas da América Latina pretendem adotar uma nuvem pública nos próximos anos.

Para a pesquisa, o IDC entrevistou 333 companhias de diversos segmentos e portes em oito países da América Latina, entre eles México, Chile, Argentina e Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: