Mercado abrirá em 4 h 12 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,47
    -1,18 (-1,39%)
     
  • OURO

    1.787,00
    -6,40 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    60.048,84
    -2.386,79 (-3,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.455,99
    -49,16 (-3,27%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.273,20
    -4,42 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    25.606,09
    -432,18 (-1,66%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.572,75
    +27,75 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4602
    +0,0061 (+0,09%)
     

Brasil é o 3º país mais atingido por ataques de sequestro digital

·2 minuto de leitura

O Brasil é o terceiro maior país em número de ataques de sequestro digital, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. Os números são referentes apenas ao mês de agosto de 2021, com nosso território correspondendo a 15% dos 19,8 milhões de ataques que foram registrados no período, também recorde em número de famílias de pragas e, também, em detecções.

Os números são da Bitdefender e apresentam uma nova métrica sobre a ameaça global representada pelos ransomwares. O alcance, normalmente, é medido em milhões de dólares em resgates pagos ou total de ataques realizados; agora, podemos falar também em amostras, com a empresa especializada em segurança identificando 250 famílias diferentes em atuação no mundo durante o último mês.

De acordo com os números dos especialistas em segurança, 60% dos ataques registrados em agosto foram realizados a partir de pragas das três maiores famílias em atuação: WannaCryptor (30%), Stop/DJVU (19%) e Phobos (15%), nesta ordem. O levantamento também afirma que 40% dos golpes tinham setores específicos na mira, com o de telecomunicações sendo o mais afetado, com 51% dos casos em que uma ameaça direcionada pôde ser detectada; as empresas de mídia (27%) e tecnologia (7%) completam o ranking.

<em>Brasil aparece em terceiro no ranking dos países mais atingidos por golpes de sequestro digital, em um mês de agosto marcado por aumento nas detecções e recorde na localização de famílias de malware (Imagem: Divulgação/Bitdefender)</em>
Brasil aparece em terceiro no ranking dos países mais atingidos por golpes de sequestro digital, em um mês de agosto marcado por aumento nas detecções e recorde na localização de famílias de malware (Imagem: Divulgação/Bitdefender)

Variações e modificações dos códigos originais também ampliam esse alcance, com os sistemas da empresa especializada tendo detectado mais de 400 novas ameaças e 30 bilhões de sinais de perigo em agosto. Os números foram altos mesmo com o hiato de um dos principais bandos de sequestro digital do mundo, o REvil, que interrompeu temporariamente suas atividades antes de retornar à carga neste mês de setembro.

Confirmando cada vez mais a ameaça global dos ransomwares, a Bitdefender afirma que ataques foram registrados contra empresas de 174 países. A tendência, segundo os especialistas, é que o número de detecções apenas aumente com a popularidade das principais famílias de sequestradores digitais e o retorno de grupos criminosos famosos, todos explorando, principalmente, golpes de engenharia social e vulnerabilidades em redes e computadores que já são conhecidas e, muitas vezes, até corrigidas, mas cujas atualizações não foram aplicadas por administradores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos