Mercado abrirá em 4 h 29 min
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,38 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,15
    +0,04 (+0,05%)
     
  • OURO

    1.776,50
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    23.399,71
    -394,47 (-1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    556,44
    -16,38 (-2,86%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,69 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.498,26
    -17,49 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.443,75
    -49,50 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2473
    -0,0119 (-0,23%)
     

Brasília em Off: As ideias da campanha de Lula sobre o teto

(Bloomberg) -- O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem sobre a mesa uma série de propostas para substituir a regra do teto de gastos caso vença a corrida eleitoral de outubro.

Nada foi definido ainda, mas os conselheiros do petista afirmam que, independentemente de qual seja a nova regra, será preciso pedir ao congresso autorização para gastar mais logo no início de 2023.

O novo governo terá que arcar, por exemplo, com a manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600, além de ter que zerar a fila de novos benefícios do INSS.

Barbosa

Segundo um interlocutor de Lula, o ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa é um dos mais ouvidos pela campanha quando o assunto é o teto.

Barbosa, que foi parte da administração de Dilma Rousseff, disse em janeiro desse ano em entrevista que o próximo governo terá que aumentar os gastos públicos, ainda que temporariamente, para combater o aumento da pobreza e o desemprego. Segundo ele, o mercado financeiro já percebeu que a atual regra que limita o crescimento dos gastos públicos à inflação “é inexequível”.

O nome do ex-ministro foi, inclusive, citado algumas vezes por Lula em evento em Brasília na quinta-feira.

Foco é na economia

O entorno de Lula tem sugerido ao candidato que não responda diretamente aos ataques do presidente Jair Bolsonaro ao sistema de votação brasileiro e às urnas eletrônicas. Para auxiliares do petista, Lula não pode ser “arrastado” para uma pauta que é muito mais cara a Bolsonaro.

A avaliação é que o ex-presidente precisa insistir em falar de economia. A ideia é que as respostas sobre as urnas sejam concentradas nos partidos da chapa. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, chegou a ser repreendida internamente por comentar o encontro de Bolsonaro com embaixadores na semana passada.

Economia sim, Fazenda não

Paulo Guedes fica no governo se Bolsonaro ganhar, mas se puder continuar a comandar a “super pasta” da Economia. A interlocutores, o ministro diz que não veio para o governo para ter seu trabalho limitado.

O único problema é que Bolsonaro -- que já disse que quer que Guedes fique -- também já prometeu para o centrão a criação de novos ministérios, sendo que uma possibilidade seria desmembrar a Economia, voltando a ser Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento.

Tweets da semana

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos