Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    34.765,75
    -3.769,41 (-9,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Brainard sinaliza que está aberta a elevar juros em março

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Governadora do Federal Reserve Lael Brainard disse que o Banco Central dos EUA pode aumentar as taxas de juros já em março para garantir que as pressões de preços não vistas há gerações sejam controladas.

Most Read from Bloomberg

“O comitê projetou vários aumentos ao longo do ano”, disse Brainard na quinta-feira em resposta a uma pergunta durante sua audiência de confirmação perante o Comitê Bancário do Senado. “Estaremos em condições de fazer isso, acho, assim que as compras de ativos forem encerradas”, disse ela. O Fed deve concluir o processo de compra de títulos em meados de março.

A intenção de Brainard de combater preços mais altos marca uma mudança importante de uma das integrantes mais influentes do banco central na abordagem mais branda quanto ao aumento de juros. Em julho, ela argumentou que o risco era de a inflação reverter ao padrão de ficar muito baixo em comparação com a meta de 2% do Fed.

Desde então, as pressões sobre os preços atingiram o nível mais alto desde 1982 e as autoridades passaram a enfrentar a inflação, com várias delas pedindo aumentos das taxas de juros já na reunião de março. Eles temem que as pressões de preços se enraízem na economia dos EUA.

Eles prevêem mercado de trabalho forte, mesmo enquanto a economia encara com a variante ômicron do coronavírus, o que pode prolongar os gargalos da pandemia no fornecimento de bens, serviços e trabalhadores.

O Banco Central dos EUA sinalizou no mês passado que aumentarão a taxa básica de juros pelo menos três vezes este ano e anunciou o fim de seu programa de compra de ativos em meados de março. O pivô para diminuir o apoio à política adotada na pandemia veio em resposta ao mercado de trabalho forte dos EUA, ao crescimento em alta e aos preços ao consumidor que subiram 7% em 2021.

“Temos uma ferramenta poderosa e vamos usá-la para reduzir a inflação ao longo do tempo”, disse Brainard. “Eu certamente acho que estamos ouvindo de famílias trabalhadoras de todo o país sobre inflação.”

Brainard foi indicada pelo presidente Joe Biden para atuar como vice-presidente do Fed, sucedendo Richard Clarida que renunciou este mês antes do final de seu mandato na sequência de novos questionamentos sobre negociações pessoais. Se confirmada pelo Senado, Brainard será uma das mais próximas na equipe do presidente Jerome Powell, juntamente com o presidente do Fed de Nova York John Williams.

Powell disse aos parlamentares na terça-feira que espera que o Fed comece a reduzir seu balanço de US$ 8,77 trilhões ainda este ano. Brainard disse que a discussão começou.

Retornar o balanço patrimonial e as taxas de juros a níveis mais normais será complicado. As autoridades do Fed realmente não sabem como o balanço patrimonial menor afetará a economia ou os mercados financeiros. O efeito da ômicron na atividade também é uma questão significativa na previsão.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos